Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.26/8963
Título: Ataque incial com meios aéreos: Proposta de Sectores Prioritários de Intervenção
Autor: Benigno, Alexandre da Cunha Pereira de Lacerda
Orientador: Almeida, Rui Manuel Lopes Cunha
Palavras-chave: Meios Aéreos de Combate a Incêndios Florestais
Ataque Inicia
Despacho
Sectores Prioritários
Firefighting Aircrafts
Initial Attack
Dispatch
Priority Response Sectors
Data de Defesa: 2013
Resumo: Apesar do protagonismo que os meios aéreos têm na estratégia de ataque inicial aos incêndios florestais implementada em 2006, contribuindo, em conjunto com as forças terrestres para um sucesso alcançado na primeira intervenção, na ordem dos 94%, constata-se que o despacho automático de helicópteros de ataque inicial tem conduzido a um elevado número de missões em que os mesmos não chegam a intervir, ou mesmo a chegar ao teatro de operações. Entre 2008 e 2012, registaram-se, só na fase Charlie, 9.180 missões deste tipo (37,56% do total de missões de ataque inicial com helicópteros), com um consumo de 2.627 horas e 33 minutos de voo (17,64% do total de horas de voo em missões de ataque inicial com helicópteros). As preocupações com necessidade de uma gestão criteriosa das horas de voo, evitando a ultrapassagem do limite de horas contratadas e com elas o aumento substancial dos custos de operação com meios aéreos e, por outro lado, a existência de um número limitado de helicópteros de ataque inicial para responderem a vários incêndios florestais em simultâneo, conduziram ao desenvolvimento deste estudo. Através da sobreposição de variáveis como a distribuição geográfica dos quartéis dos corpos de bombeiros, a rede viária nacional, a suscetibilidade ao perigo de incêndio florestal, a frequência de ocorrência de incêndios florestais e a importância de determinadas áreas do ponto de vista florestal, elaborámos uma proposta onde considerámos que o despacho automático de meios aéreos de ataque inicial não deverá ser generalizado a todo o território de Portugal Continental, mas sim a sectores prioritários de intervenção (sectores vermelhos), em contraposição aos dois outros sectores, – amarelo e verde - que pressupõem a ponderação do Comandante Operacional Distrital, ou alguém por si delegado, sobre a necessidade de acionamento meios aéreos de ataque inicial, dentro de uma janela de tempo até aos 10 minutos após o alerta.
Despite the role that helicopters have in the wildfires initial attack strategy implemented in 2006, contributing, in conjunction with ground forces, for a success in the first intervention, in the order of 94%, it appears that the automatic dispatch of initial attack helicopters has led to a high number of missions in which they fail to intervene, or even to get to the theater of operations. Between 2008 and 2012, only in Charlie phase, there were 9.180 missions of such type (37,56% of total missions of initial attack with helicopters), with a consumption of 2.627 hours and 33 minutes of flight hours (17,64% of total flight hours in missions of initial attack with helicopters). Concerns about the need for careful management of flight hours, avoiding the threshold of contracted hours and the substantial increase of the operational costs with air assets, and the existence of a limited number of initial attack helicopters to respond to various wildfires simultaneously, led to the development of this study. By overlapping variables such as the geographical distribution of the barracks of the fire departments, national road network, wildfire susceptibility, the frequency of occurrence of wildfires and the importance of certain areas from the forest point of view, we drafted a proposal in which the automatic dispatch of initial attack aircrafts should not be generalized to the entire territory of Continental Portugal, but to the priority response areas (red sectors), in contrast with the yellow and green sectors, in which the District Operational Commander, or someone delegated by him, should weight the need of initial attack aircrafts dispatch, within 10 minutes after the alert.
URI: http://hdl.handle.net/10400.26/8963
Designação: Mestrado em Riscos e Protecção Civil
Aparece nas colecções:ISEC - ETEA - Mestrado em Riscos e Proteção Civil

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese Mestrado-Ataque Inicial com Meios Aéreos_Proposta de Sectores Prioritários de Intervenção.pdf4,23 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.