Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.26/16469
Título: A perceção dos profissionais de saúde sobre infeções associadas aos cuidados de saúde
o papel do enfermeiro gestor
Autor: Moreira, Tânia Catarina Vaz
Orientador: Lucas, Pedro Bernardes
Palavras-chave: Gestão em enfermagem
Enfermagem
Qualidade dos cuidados de saúde
Infeções
Data de Defesa: 2015
Editora: [s.n.]
Resumo: Objetivos: Este estudo pretende analisar a perceção dos profissionais de saúde a as suas práticas relativamente à higienização das mãos e sua influência nas IACS; Identificar as práticas dos profissionais de saúde relacionadas com a higienização das mãos e analisar em que medida as variáveis socioprofissionais influenciam essa prática. Metodologia: É um estudo de caso, definiu-se como observacional com corte transversal, utilizando uma metodologia quantitativa e com recurso à análise descritiva, sendo também retrospetivo. A colheita de dados efetuou-se através da aplicação de um questionário, baseado no “Questionário básico sobre a perceção de profissionais de saúde sobre infeções associadas aos cuidados de saúde e à higienização das mãos”, disponibilizado pela Organização Mundial da Saúde. Um total de 47 profissionais de saúde do serviço de Ortopedia do Hospital Fernando da Fonseca respondeu ao questionário. O tratamento de dados efetuou-se através do SPSS (Statiscal Package for the Social Sciences), versão 21.0. Resultados: Denota-se que os profissionais de saúde percecionam as IACS como tendo impacto na evolução clínica do cliente e que a higienização das mãos será eficaz na prevenção das IACS. De uma forma geral, os profissionais percecionam que os gestores dão prioridade à higienização das mãos e possuem conhecimentos relativamente à técnica de higienização das mãos e aos momentos em que é necessário realizá-la. Verifica-se que os profissionais com mais anos de atividade profissional consideram necessário um maior esforço para realizar a higienização das mãos e os auxiliares empreendem um maior esforço para a realização desta técnica. Conclusões: Os profissionais de saúde detêm conhecimentos sobre IACS e higienização das mãos, porém, de acordo com a literatura existente, a adesão à higienização das mãos é baixa, tal leva a concluir que os profissionais desvalorizam a prática de higienização das mãos.
Descrição: Mestrado, Gestão em Enfermagem, 2015, Escola Superior de Enfermagem de Lisboa
URI: http://hdl.handle.net/10400.26/16469
Aparece nas colecções:ESEL - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação de Mestrado.pdf2,26 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.