Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.26/19689
Título: A Traceologia: Gestos do passado pela objectiva do microscópio
Autor: Igreja, Marina de Araújo
Palavras-chave: Arqueologia / Archaeology
Data: 2008
Editora: Associação Cultural Desportiva e Recreativa de Freixo de Numão
Citação: Igreja, Marina de Araújo, 2008, A Traceologia: Gestos do passado pela objectiva do microscópio, In Lima, Alexandra Cerveira; Baptista, António Martinho; Coixão, António Nascimento Sá; Luís, Luís; Rodrigues, Miguel (coords.), Actas do Forum Valorização e Promoção do Património Regional. Arqueologia Experimental. Recriações do passado em ritmos do nosso tempo. Vol. 4. Vila Nova de Foz Côa, Associação Cultural Desportiva e Recreativa de Freixo de Numão, p. 34-45.
Resumo: A Traceologia é um campo autónomo de investigação que consiste no estudo da função e do modo de funcionamento dos artefactos arqueológicos através da análise das modificações dos bordos e das superfícies, criadas pelo contacto entre o artefacto e o material trabalhado. Os bordos e superfícies dos artefactos sofrem modificações de natureza mecânica e de ordem química visíveis à escala microscópica. A cada material trabalhado e gesto efectuado correspondem vestígios de uso bem característicos, perceptíveis ao microscópio. A interpretação da função e das modalidades de utilização dos materiais arqueológicos pela Traceologia é realizada com base na leitura dos vestígios de uso obtidos pela abordagem experimental onde são reproduzidas as actividades pressupostamente efectuadas. Com efeito, a arqueologia experimental tem um papel fundamental na Traceologia e na abordagem dos processos técnicos hoje desaparecidos, permitindo testar e recriar de forma controlada as hipóteses e pressupostos teóricos sobre os modos de fabrico e de utilização dos materiais arqueológicos. Apresentam-se os resultados de três experiências: arremesso de lanças, esquartejamento da carcaça e processamento da pele de um corso (Capreolus capreolus), com artefactos em sílex, quartzo, quartzito e cristal de rocha talhados para o efeito. Estas experiências tiveram como objectivo documentar a reacção destas matérias-primas ao contacto com materiais de natureza animal e o tipo de vestígios de uso produzidos, de forma a criar uma colecção de referência, que servirá de comparação com os materiais arqueológicos. A constituição da colecção de vestígios de uso é fundamental, uma vez que não se dispõe actualmente em Portugal de uma colecção deste tipo e em matérias-primas alternativas ao sílex. Trata-se da primeira fase de um projecto mais vasto sobre o estudo dos comportamentos dos grupos do Paleolítico Superior financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia. Através da analise traceológica dos materiais líticos recolhidos em sítios arqueológicos da região da Estremadura e do Vale do Côa, este projecto procura documentar o tipo de consumo das industrias líticas preferencialmente fabricadas em matérias-primas alternativas ao sílex cujo contexto paleoambiental se distingue do resto da Europa e numa perspectiva alargada e paléocomportamental, testar as interpretações sugeridas pelos estudos globais propostas para estes sítios quanto à reconstituição do conjunto de actividades aí desenvolvidas.
URI: http://hdl.handle.net/10400.26/19689
Aparece nas colecções:PAVC - RB - ARRCN - Artigos e Resumos em Revistas Científicas Nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Igreja2008.pdf1,53 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.