Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.26/12689
Título: A NATO e o Cáucaso – um novo desafio
Autor: Serra, João
Palavras-chave: Abecásia
Arménia
Azerbaijão
Cáspio
Cáucaso
Conflitos
Estratégia
EUA
Geórgia
Mar Negro
Mediterrâneo
Nagorno-Karabakh
NATO
Ossétia do Sul
Pipeline BTC
Redes energéticas
Rússia
Turquia
UE
Data: 2010
Editora: IUM
Resumo: O Cáucaso inclui as Repúblicas e regiões do Cáucaso do Norte que integram a actual Federação Russa, e os países da Transcaucásia: Azerbaijão, Arménia e Geórgia. A cadeia de montanhas que se estende entre o mar Negro e o mar Cáspio constitui um intricado mosaico de povos, etnias, culturas e religiões, e por isso um terreno propenso a antagonismos e disputas. Sendo uma região historicamente atrasada, possui contudo um valor estratégico privilegiado como via de acesso às riquezas de petróleo e gás do Cáspio. A sua localização geográfica no eixo da placa euro-asiática, explica o interesse, já de longa data, de vários actores internacionais, sendo a NATO, um deles. Por outro lado, a região caucásica foi palco de um dos principais conflitos inter-étnicos que influenciou o desmembramento da URSS – a guerra do Nagorno-Karabakh entre a Arménia e o Azerbaijão – que de momento se encontra em estado latente. No entanto, alguns dos conflitos que eclodiram em consequência do colapso da URSS, encontram-se ali no estádio activo ou em convulsão intermitente. São os casos dos conflitos “separatistas” da Abecásia e da Ossétia do Sul na Geórgia – que em muito se constituíram em resultado do radicalismo nacionalista georgiano – ou da paradigmática guerra da Chechénia, na Rússia. Também o desfiladeiro de Pankisi, uma região montanhosa na fronteira da Geórgia com a Chechénia, escapa ao controlo do governo georgiano. Presume-se estarem aí instaladas redes de extremismo religioso e de crime organizado. Em termos práticos, toda esta região configura um crescente e ameaçador “barril de pólvora”. O Cáucaso, principalmente o Sul, está a tornar-se rapidamente num importante ponto estratégico, em termos geopolíticos, na sequência dos ambiciosos projectos de transporte energéticos e da consolidação de corredores militares de apoio às operações no Afeganistão (NATO). A NATO, aparentemente, pode continuar a sua expansão até ao Cáucaso. Neste contexto a Geórgia poderá ser uma “testa de praia” e uma ponte de penetração ainda mais para leste, para o Azerbaijão (Mar Cáspio). Tudo depende da estratégia futura que a NATO vier a adoptar para a região. Abstract: The Caucasus includes the regions and republics of the North Caucasus as part of the current Russian Federation, and the Transcaucasian countries: Azerbaijan, Armenia and Georgia. The mountain range that stretches between the Black Sea and Caspian Sea is an intricate mosaic of peoples, races, cultures and religions, and therefore a land prone to disputes and antagonisms. Being a region historically not developed, but has a strategic value as a privileged route from Caspian Sea, namely its oil and gas. Its geographical location at the center of the Eurasian plate, explains the interest, since a long time, several international players, with NATO, one of them. On the other hand, the Caucasian region was the scene of major inter-ethnic conflicts that influenced the breakup of the USSR - the war in Nagorno-Karabakh between Armenia and Azerbaijan - who currently is in a dormant state. However, some of the conflicts that erupted as a result of the collapse of the USSR are active there in the stadium or intermittent seizures. The cases of the conflict “separatists” of Abkazia and South Ossetia in Georgia – which largely constituted as a result of radical nationalist Georgian – or the paradigmatic war in Chechnya, Russia. Also the Pankisi Valley, a mountainous region at the Georgian border with Chechnya, is outside the control of the Georgian government. It is assumed there are installed networks of religious extremism and organized crime. In practical terms, this whole region sets a growing and threatening "powder barrel". The Caucasus, especially the south, is rapidly becoming an important strategic point, in geopolitical terms, as a result of the ambitious projects of energy transport corridors and the consolidation of military support operations in Afghanistan (NATO). NATO apparently can continue its expansion into the Caucasus. In this context Georgia may be the "head of beach" and a bridge to penetrate further east to Azerbaijan (Caspian Sea). Everything depends on the future NATO strategy for the region.
URI: http://hdl.handle.net/10400.26/12689
Aparece nas colecções:IUM - CRC - CPOS - MAR - Trabalhos de Investigação Individual

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
CTEN Grad Joao Serra.pdf1,06 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.