Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.26/10055
Título: O Transporte Contentorizado
Autor: Covita, António
Palavras-chave: Autoridade portuária
Cadeia de abastecimento
Contentor
Logística
Porto
Terminal
Transporte
Data: 2012
Editora: IESM
Resumo: O transporte contentorizado é um dos grandes responsáveis da globalização económica, pelo modo como facilitou o movimento de crescentes volumes de mercadorias, a baixos custos e a grandes distâncias, vencidas sobretudo pelo transporte marítimo, que transformou as regiões costeiras, através dos portos, em plataformas por onde passam os bens transacionados e que constituem a parte tangível das cadeias de abastecimento globais. Este trabalho de investigação estuda as características do transporte contentorizado, abordando o modo como atuam à escala global os diversos atores, quais os instrumentos ao dispor das Administrações Portuárias (AP) para modelarem as cadeias de abastecimento, quais os fatores que influenciam os diversos interessados na escolha de um porto e qual o papel particular do terminal de contentores do porto de Sines nas cadeias de abastecimento da sua região de influência. A investigação conclui que os atores do transporte contentorizado - companhias de navegação, carregadores, operadores dos terminais (nos portos e no interior), transportadores, agentes de navegação, transitários e empresas de serviços logísticos, as AP, as autoridades fiscais e aduaneiras, sanitárias, de polícia e de gestão das infraestruturas – atuam em rede e à escala global, de forma autónoma mas interdependente o que levanta várias questões de coordenação e cooperação, onde todos reconhecem a necessidade de melhorar a eficiência e a eficácia das cadeias de transportes, sendo possível identificar a existência de várias formas de cooperação que envolvem as diversos entidades. Com o atual modelo de governação dos portos, através de contractos de concessão das atividades portuárias a diferentes entidades privadas, as AP passam a desempenhar o papel de coordenador entre os diversos interessados, dispondo para isso de instrumentos, tais como o planeamento conjunto, sistemas de controlo, incentivos e penalidades, regulamentação dos aspetos ambientais, organização e distribuição do espaço, os transportes, aspetos laborais e de segurança, tudo focalizado em como influenciar a atividade das empresas e, desta forma, a cadeia de abastecimento. Os portos passaram a ser apenas um dos elos das cadeias, abandonando o simples papel de ponto de carga e descarga, sendo que é o resultado final de toda a cadeia que determina a escolha dos clientes, e não só os tradicionais elementos de caráter endógeno do porto Por fim, é abordado o caso particular do terminal de contentores do porto de Sines, sendo identificadas novas oportunidades e ameaças ligadas ao surgimento de novas rotas marítimas, demonstrando-se que o terminal de contentores tem um papel fundamental para tornar o porto de Sines uma porta atlântica muito relevante para a Europa, face ao crescimento sustentado do movimento, conjugado com as políticas de expansão da atividade quer da AP quer do próprio operador do terminal.. Abstract: Container shipping is greatly responsible for globalisation, as it has made far- flung trading operations possible, with growing volumes of cargo, at reduced costs. Hence, maritime transport has assumed a leading role in commerce, transforming ports into platforms of goods throughput, supply chain tangible part. This study addresses the characteristics of containerized trade, looking at how different players act, what are the available instruments for port authorities to model supply chains, which factors interfere with the port’s costumers’ choices and the particular role of the Sines container terminal on its hinterland supply chains. The research concludes that containerized transport actors – shipping lines, carriers, container terminal operators, freight forwarders, logistics services providers, port authorities, customs, duty and inspection services, and infrastructure managers – act in a global network, keeping their own independence while the emerging interdependence results in coordination problems, claiming for cooperation between actors, which is recognized as the key for improving effectiveness and efficiency of transport chains. Several forms of cooperation between organizations are identified. The present landlord model of port governance reserves the coordination role to the port authority, which has instruments such as combined planning, control systems, rewards and penalties, environmental, spatial, transport, labour, security and safety rules, with focus on how to interact in port activities and thus influence the supply chain. Ports became one of the supply chain nodes, abandoning their traditional role as location for loading and unloading freight. For port customers what matters is the performance of the supply chain, which determines their choices instead of traditional port internal factors. Finally, we take a look into the Sines container terminal, identifying opportunities and threats emerging from new maritime routes, showing that the container terminal has a principal role in turning the port of Sines into an important European gateway, in regards to the sustained growth of container throughput and the expansion goals of both port authority and terminal operator.
URI: http://hdl.handle.net/10400.26/10055
Aparece nas colecções:IUM - CRC - CPOS - MAR - Trabalhos de Investigação Individual

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
CMG António Covita.pdf2,64 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.