O Seu Saber Ocupa um Lugar! DSpace

Repositório Comum >
ESEJD - Escola Superior de Educação João de Deus >
ESEJD - Dissertações de Mestrado em Ciências da Educação >
ESEJD - Educação especial – domínio cognitivo – motor (dissertação) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://comum.rcaap.pt/handle/123456789/2436

Título: O (in)sucesso escolar das crianças sobredotas: percepção dos docentes
Autor: Silva, Ilisete Santos da
Palavras-chave: Sobredotado
Necessidades educativas especiais
Insucesso escolar
Issue Date: Jul-2012
Resumo: Hoje em dia, assiste-se a um crescente interesse pelos vários grupos de crianças portadoras de Necessidades Educativas Especiais. Nas escolas, existem as crianças que sofrem de deficiência (visual, auditiva, motora, mental) e que têm dificuldades de adaptação escolar. Para estas, existem vários apoios regulados pelo Decreto-Lei nº 3/2008, de 07 de Janeiro. Porém, no processo educativo e a nível da legislação, existe um grupo mais esquecido entre todas elas: as crianças sobredotadas e talentosas. Estas têm necessidades específicas e, como tal, são portadores de Necessidades Educativas Especiais. Muitos destes jovens passam despercebidos na escola por falta de estruturas de identificação e acompanhamento. Muitos são apenas percebidos como hiperactivos, ansiosos, frustrados, desinteressados, indisciplinados, incómodos, em conflito com o próprio ensino que não corresponde às suas expectativas. Sendo assim, estas crianças sofrem igualmente com as dificuldades escolares e são vítima do insucesso escolar, como tantas outras inseridas nas nossas escolas. Sofrem com o modelo escolar que lhes é proposto e com a falta de legislação existente. Elas são diferentes e como tal, necessitam de um atendimento específico e de uma justa e efectiva igualdade de oportunidades. Por isso, a escola deve criar condições para desenvolver as potencialidades das crianças sobredotadas, criar ambientes criativos, desenvolver estímulos, criar recursos, dar oportunidades e um atendimento diferenciado em função das suas características e necessidades individuais. Com o Despacho Normativo nº 50/2005, de 20 de Outubro e a criação dos Planos de Desenvolvimento que criam condições para a expressão e desenvolvimento das capacidades excepcionais das crianças sobredotadas, começou a existir, em Portugal, uma preocupação com o seu atendimento. Porém, com o estudo realizado, chegou-se à conclusão que as medidas educativas junto às crianças sobredotadas não são adequadas e a intervenção educativa na sobredotação é, não só insuficiente, como também quase inexistente. Sendo assim, há, ainda, um longo caminho a percorrer na identificação, no apoio e na intervenção destes alunos.
URI: http://comum.rcaap.pt/handle/123456789/2436
Appears in Collections:ESEJD - Educação especial – domínio cognitivo – motor (dissertação)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
IliseteSilva.pdf1,49 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE
© 2009 - REPOSITÓRIO COMUM - Comentários - Statistics