O Seu Saber Ocupa um Lugar! DSpace

Repositório Comum >
IDN - Instituto da Defesa Nacional >
IDN - Revista Nação e Defesa >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://comum.rcaap.pt/handle/123456789/1309

Título: L'Union Européenne après le 11 Septembre :la politique étrangère commune à l'épreuve des normes américaines
Autor: Charillon, Frédéric
Palavras-chave: Política externa
Guerra
Terrorismo
NATO (EUA, 1949)
UE (a partir de 1993)
EUA
Issue Date: 2002
Editora: Instituto da Defesa Nacional
Relatório da Série N.º: 2ª Serie;Nº 102 (Verão 2002)
Resumo: Desde o fim da Guerra Fria que as manifestações de um certo unilateralismo americano não deixam de inquietar os Europeus. Durante a guerra do Kosovo em 1999, ocorreram vários desentendimentos transatlânticos e a crise veio evidenciar os limites da União Europeia. Não tendo o Conselho de Segurança das Nações Unidas autorizado, explicitamente, a acção militar contra a Sérvia, diversos diplomatas europeus manifestaram a sua inquietação face a um duplo deslize da retórica americana tendencialmente política e depois moral, onde os contornos mudavam consoante os interesses de Washington. A invocação súbita da “comunidade internacional” liderada pelos Estados Unidos, e a banalização do apelo à “solidariedade atlântica” suscitaram reacções de supeita senão mesmo de desconfiança. A solidariedade com os Estados Unidos, mais que nunca, toma um carácter obrigatório. O artigo 5 da NATO foi invocado e a subscrição dos objectivos de guerra americanos tornou-se quase incontornável. Qual o significado e o impacto desta situação para a União Europeia em particular para a definição de uma política externa e de segurança comum credível? É conveniente recordar três pontos: por um lado o choque internacional produzido pelos atentados do 11 de Setembro saldou-se pelo pior momento diplomático para a União Europeia. Por outro lado e em consequência do primeiro ponto, a Europa deverá agora, gerir um risco político que hipoteca o futuro da sua diplomacia comum. A nova situação internacional comporta um certo número de oportunidades que os europeus fazem mal não agarrar, com a condição que exista uma vontade política
Arbitragem científica: yes
URI: http://comum.rcaap.pt/handle/123456789/1309
ISSN: 0870-757X
Versão do Editor: http://www.idn.gov.pt/publicacoes/consulta/NeD/NeD102/NeD102.pdf
Appears in Collections:IDN - Revista Nação e Defesa

Files in This Item:

File Description SizeFormat
NeD102_FredericCharillon.pdf198,37 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE
© 2009 - REPOSITÓRIO COMUM - Comentários - Statistics