O Seu Saber Ocupa um Lugar! DSpace

Repositório Comum >
IDN - Instituto da Defesa Nacional >
IDN - Revista Nação e Defesa >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://comum.rcaap.pt/handle/123456789/1309

Título: L'Union Européenne après le 11 Septembre :la politique étrangère commune à l'épreuve des normes américaines
Autor: Charillon, Frédéric
Palavras-chave: Política externa
Guerra
Terrorismo
NATO (EUA, 1949)
UE (a partir de 1993)
EUA
Issue Date: 2002
Editora: Instituto da Defesa Nacional
Relatório da Série N.º: 2ª Serie;Nº 102 (Verão 2002)
Resumo: Desde o fim da Guerra Fria que as manifestações de um certo unilateralismo americano não deixam de inquietar os Europeus. Durante a guerra do Kosovo em 1999, ocorreram vários desentendimentos transatlânticos e a crise veio evidenciar os limites da União Europeia. Não tendo o Conselho de Segurança das Nações Unidas autorizado, explicitamente, a acção militar contra a Sérvia, diversos diplomatas europeus manifestaram a sua inquietação face a um duplo deslize da retórica americana tendencialmente política e depois moral, onde os contornos mudavam consoante os interesses de Washington. A invocação súbita da “comunidade internacional” liderada pelos Estados Unidos, e a banalização do apelo à “solidariedade atlântica” suscitaram reacções de supeita senão mesmo de desconfiança. A solidariedade com os Estados Unidos, mais que nunca, toma um carácter obrigatório. O artigo 5 da NATO foi invocado e a subscrição dos objectivos de guerra americanos tornou-se quase incontornável. Qual o significado e o impacto desta situação para a União Europeia em particular para a definição de uma política externa e de segurança comum credível? É conveniente recordar três pontos: por um lado o choque internacional produzido pelos atentados do 11 de Setembro saldou-se pelo pior momento diplomático para a União Europeia. Por outro lado e em consequência do primeiro ponto, a Europa deverá agora, gerir um risco político que hipoteca o futuro da sua diplomacia comum. A nova situação internacional comporta um certo número de oportunidades que os europeus fazem mal não agarrar, com a condição que exista uma vontade política
Arbitragem científica: yes
URI: http://comum.rcaap.pt/handle/123456789/1309
ISSN: 0870-757X
Versão do Editor: http://www.idn.gov.pt/publicacoes/consulta/NeD/NeD102/NeD102.pdf
Appears in Collections:IDN - Revista Nação e Defesa

Files in This Item:

File Description SizeFormat
NeD102_FredericCharillon.pdf198,37 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

© 2014 - REPOSITÓRIO COMUM - Comentários - Statistics
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia