Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.26/9991
Título: O emprego das Forças Armadas em conflitos assimétricos
Autor: Borges, Lourenço
Palavras-chave: Ameaças assimétricas
Capacidades
Conflitos Assimétricos
Contrassubversão
Forças Armadas,
Forças de Segurança
Guarda Nacional Republicana
Data: 2013
Editora: IESM
Resumo: O presente trabalho de investigação pretende identificar quais as principais capacidades que as Forças Armadas Portuguesas (FA) necessitam de ter para participar em conflitos assimétricos. Começa por expor uma revisão da literatura, abordando os conceitos de conflitos assimétricos e ameaças assimétricas, como o terrorismo e a subversão. De seguida, apresenta o emprego das FA em conflitos assimétricos no período temporal pós 11 de setembro de 2001, desenvolve o conceito de contrassubversão e aborda a cooperação entre as FA e as Forças de Segurança (FSeg). De acordo com o modelo de análise aplicado, estuda as ameaças assimétricas e as FA, detalhando quais os seus objetivos, métodos e capacidades. As capacidades militares das FA são comparadas com as capacidades das FA nacionais para perceber quais as limitações e lacunas que podem ser supridas pelas FSeg, concretamente pela Guarda Nacional Republicana (GNR) e qual o modelo de cooperação. Conclui que as FA portuguesas possuem muitas das capacidades militares necessárias para participar em conflitos desta natureza, mas apresentam algumas lacunas. Possuem as capacidades para conduzir operações de segurança marítima e dissuasão e patrulhas; comunicações e sistemas de informação; proteção e apoio geral de engenharia; nuclear, biológica, química e radiológica; operações psicológicas; cooperação civil militar; forças de operações especiais e inativação de engenhos explosivos. As capacidades de sustentação e transporte, ataques de precisão, edificação das FSeg da nação hospedeira, unidades de combate, apoio de fogos indireto, interoperabilidades terra-ar, mobilidade aérea, ciberdefesa e controlo de tumultos, apresentam algumas lacunas ou limitações. As FA não dispõem das capacidades de aviação naval, aviação do exército, análise forense e informações policiais. Das capacidades com lacunas ou inexistentes, a GNR pode assegurar as capacidades de edificação das FSeg da HN, relativamente ao treino das polícias; controlo de tumultos; análise forense e informações policiais. Estas capacidades podem ser integradas num contingente nacional das FA, em comando operacional do Chefe de Estado-Maior General das Forças Armadas e comando administrativo-logístico do comandante de contingente. Abstract: This research aims to identify the core capabilities that the Portuguese Armed Forces (AF) need to participate in asymmetric conflicts. It begins with a review of the literature addressing the concepts of asymmetric warfare and asymmetric threats, such as terrorism and subversion. Afterwards, it presents examples of the use of AF in asymmetric conflicts in the time period after September 11, 2001, develops the concept of counterinsurgency and addresses the cooperation between the AF and Security Forces. According to the analysis model applied, it studies the asymmetric threats and AF, detailing what their goals, methods and capabilities. The military capabilities of AF are compared with the capabilities of the national AF to realize what are the limitations and gaps that can be addressed by the Security Forces, namely the National Republican Guard (GNR) and in which model of cooperation. Concludes that the Portuguese AF has many of the military capabilities required to engage in conflicts of this nature, but have some gaps. It has the capabilities to conduct maritime security operations and patrols and deterrence, communications and information systems, protection and engineering general support, nuclear, biological, chemical and radiological, psychological operations, civil-military cooperation, special operations forces and explosive and ordnance disposal. The capabilities of sustainment and transportation, precision strikes, building host-nation’s security forces, combat units, indirect fires support, interoperability surface to air, air mobility, cyber defense and crowd and riot control, have some gaps or limitations. The AF doesn’t have the capabilities of naval aviation, army aviation, forensics and law enforcement information. The capabilities with gaps or missing that the GNR can ensure are building host-nation’s security forces with the training of police officers; crowd and riot control, forensics and law enforcement information. These capabilities can be integrated into a national contingent of the AF in operational command of the Chief of the General Staff of the Armed Forces and in administrative and logistical command of the contingent commander.
URI: http://hdl.handle.net/10400.26/9991
Aparece nas colecções:IUM - CRC - CEMC - Trabalhos de Investigação Individual

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TII - MAJ Borges - O emprego das FA em conflitos assimétricos.pdf2,26 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.