Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.26/9941
Título: Reorganização das TIC na Defesa Nacional
Autor: Seuanes, Fernando
Palavras-chave: Chief Information Officer
Defesa
Governação
Tecnologias da Informação
Modelo Hí-brido TI
Chief Information Officer
Defence
Governance
Information Technology
Hybrid IT Model
Data: 2013
Editora: IESM
Resumo: As Tecnologias de Informação (TI) desempenham hoje um papel fundamental no quotidia-no e serão cada vez mais um pilar da superioridade da informação, da resiliência e da agi-lidade que caraterizarão as Forças Armadas do futuro. Com efeito, atenta a realidade atual e os desenvolvimentos que se perspetivam no médio e longo prazo, salientando-se a título de exemplo as iniciativas relacionadas com a partilha de informação no âmbito da NATO e da UE, a necessidade de otimização das Forças Ar-madas, fruto da crise económica e financeira que se faz e fará sentir, e as ameaças crescen-tes no domínio virtual, não será difícil perspetivar que as TI assumirão, cada vez mais, um papel central na Defesa Nacional, contribuindo de forma cada vez mais significativa para o cumprimento eficaz e eficiente das missões. Consequentemente, a governação das TI na Defesa Nacional é assim um assunto muito relevante, e atual, porquanto a sua adequabilidade determinará o grau com que este setor irá contribuir para os objetivos estratégicos da organização o qual, como se referiu, terá de ser cada vez mais elevado. Neste trabalho apresentamos pois uma proposta de modelo de governação para as TI da Defesa Nacional, que resulta da seguinte metodologia. Numa primeira fase, analisou-se o estado da arte da governação das TI na Defesa Nacional segundo três perspetivas diferen-tes; a que transparece da organização em vigor, a do ambiente interno, que resulta de uma auditoria conduzida pela IGDN em 2011, e de uma autoavaliação realizada pela própria Defesa Nacional, e ainda a do ambiente externo, sistematizada através de uma análise de oportunidades e desafios. De seguida, foram analisados modelos relevantes e relacionados, nomeadamente o da NATO, o da defesa Australiana e o do Reino Unido. Posteriormente, foram definidos um conjunto de critérios de avaliação para modelos de governação de TI e, finalmente, foram concebidas e avaliadas várias alternativas, à luz dos critérios menciona-dos. O modelo proposto para a governação das TI na Defesa Nacional é um modelo híbrido, com a governação centralizada por um órgão colegial em que estão representados as prin-cipais entidades da Defesa Nacional, cuja principal função é alinhar a estratégia das TI com a da Defesa Nacional. Este órgão é apoiado ao nível da gestão pela estrutura do CIO que procura otimizar os recursos existentes. Os Ramos serão responsáveis pela gestão dos serviços estratégicos de apoio à decisão, serviços específicos de apoio à sua missão e pelos núcleos de competências que permitirão aliviar a estrutura do CIO. Abstract: In this day and age, Information Technology (IT) plays a key role in daily life and it will increasingly become the pillar of strength in the information, resilience and agility that characterizes the Armed Forces of the future. Indeed, given the current reality and the perspective medium and long term developments, emphasizing for example the initiatives related to information-sharing within the frame-work of NATO and the EU, the need for optimization of the Armed Forces, as a result of the economic and financial crisis that is and will continue to be felt, and the rising threats in the virtual domain it is not difficult to foresee that IT will take a progressively central role in the National Defense, contributing more and more to the effective and efficient ful-fillment of the missions. Consequently, IT governance in the National Defense is a very important, and current, sub-ject because its adequateness will determine the degree to which this sector will contribute to the strategic objectives of the organization which, as mentioned, should always be high-er. In this research we present a proposal for a model of governance for the IT in the National Defense, which results in the following methodology. As a first step, we analyzed the state of the art IT governance in the National Defense according to three different perspectives; one which is in place in the organization, one which is the internal environment, this being the result of an audit conducted by the IGDN in 2011, and a self-assessment carried out by the National Defense, and lastly one which is the external environment, the latter having been systemized by the analysis of opportunities and challenges. Then, relevant and related models were analyzed, namely NATO and the Australian and the United Kingdom De-fense. Later, a set of evaluation criteria for IT governance models were defined and, final-ly, several alternatives were conceived and evaluated, based upon the criteria mentioned. The proposed model for IT governance in the National Defense is a hybrid model, with centralized governance by a collegiate body in which the main entities of National Defense are represented, its main function being the alignment of the IT strategy with that of the National Defense. This body is supported, on a management level, by the structure of the CIO which seeks to optimize existing resources. The Branches will be responsible for the management of strategic services to decision making support, specific services to support their mission and the skill clusters that will lighten the CIO structure.
URI: http://hdl.handle.net/10400.26/9941
Aparece nas colecções:IUM - CRC - CPOS - MAR - Trabalhos de Investigação Individual

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TII - Final Reorganização das TIC na Defesa Nacional.pdf2,73 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.