Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.26/9240
Título: A dor no exercício profissional do enfermeiro, num serviço de urgência : processo de tomada de decisão, factores inibidores e estratégias de melhoria
Autor: Pereira, Isabel
Palavras-chave: Dor
Serviço de urgência
Qualidade de cuidados
Diagnósticos de enfermagem
Data de Defesa: 2011
Resumo: A dor constituiu um foco de atenção do exercício profissional dos enfermeiros. Neste sentido, este estudo aborda a actuação de enfermagem nos cuidados à pessoa com dor, num serviço de urgência, com privilégio sobre o diagnóstico, a intervenção e a respectiva documentação de cuidados. A sua finalidade consiste na melhoria da prática clínica e qualidade dos cuidados. O estudo decorre em quatro etapas. A primeira, com recurso à metodologia quantitativa, analisa 340 registos de enfermagem, no sentido da representação da dor e prática clínica de enfermagem. Esta constitui o alicerce do desenvolvimento da segunda etapa, em que, utilizando uma abordagem qualitativa, com a realização de 18 entrevistas aos enfermeiros, se pretende maior sustentabilidade para a interpretação da prática emergente. A terceira consiste na triangulação dos dados duas etapas precedentes, sendo na última etapa, efectuada a análise da prática clínica e identificadas as principais linhas orientadoras de intervenção. Os resultados encontrados sugerem que existem diferenças na avaliação da dor atendendo à capacidade de expressão e tipo de dor. Estas diferenças são estatisticamente significativas, face à prioridade clínica e área de atendimento. Quanto à intensidade da dor, verifica-se uma redução dos valores de intensidade entre o momento de entrada no serviço de urgência e o momento da alta clínica. Verificam-se lacunas na definição do enunciado diagnóstico, particularmente ao nível das características definidoras, e ao nível da intervenção de enfermagem, nomeadamente na implementação e valorização das medidas não farmacológicas de alívio da dor. Existem também, défices de conhecimentos, ao nível das normas de boa prática e sensibilização para a importância das medidas não farmacológicas de alívio da dor, verificando-se na maioria dos enfermeiros, a ausência de formação específica neste âmbito. As barreiras enunciadas são relativas ao contexto de cuidados, à pessoa/cliente, aos profissionais de saúde e à organização institucional. As estratégias sugeridas situam-se, na formação, na sensibilização para a temática e em mudanças ao nível das políticas de gestão e de cultura organizacional. Os resultados do estudo referem-se a um contexto particular de cuidados pelo que as conclusões devem ser consideradas neste âmbito. Sugerem-se outros estudos, no sentido da replicação do método em diferentes contextos de cuidados, e a implementação do plano de intervenção desenvolvido.
URI: http://hdl.handle.net/10400.26/9240
Designação: Mestrado em Enfermagem Médico-Cirúrgica
Aparece nas colecções:ESEP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO DE MESTRADO _A DOR NA PRÁTICA PROFISSIONAL DO ENFERMEIRO DE URGÊNCIA_ Isabel Pereira.pdf2,17 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.