Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.26/9234
Título: O perfil de autocuidado dos clientes : exploração da sua influência no sucesso após transplante hepático
Autor: Mota, Liliana
Palavras-chave: Autocuidado
Gestão do regime terapêutico
transplante hepático
Data de Defesa: 2011
Resumo: No contexto da transplantação hepática o indivíduo é desafiado a reformular e/ou a integrar novos aspectos no seu autocuidado, por forma a que seja garantida a viabilidade do órgão e, portanto, a qualidade de vida. Neste âmbito o autocuidado, enquanto condicionalismo pessoal, surge como uma área extremamente relevante para a prática clínica de enfermagem. A postura do indivíduo face ao seu autocuidado (“perfil de autocuidado”) tem impacto significativo no transplante, pela necessidade do indivíduo integrar comportamentos de autocuidado orientados para o “sucesso do transplante”. O estudo visou identificar e descrever o perfil de autocuidado dos clientes submetidos a transplante hepático; explorar a natureza da influência do perfil de autocuidado no sucesso do transplante hepático. A investigação alicerçou-se numa abordagem quantitativa, do tipo descritiva e transversal; com base numa amostra não probabilística e de conveniência, constituída por 100 indivíduos. O instrumento utilizado na identificação e descrição dos perfis de autocuidado dos participantes resulta de um estudo desenvolvido por Rasanen, Backman e Kyngas, em 2007.O instrumento de avaliação das competências de gestão do regime terapêutico resulta de um conjunto de indicadores da Classificação de Resultados de Enfermagem de Moorhead, Johnson e Maas (2008). O perfil de autocuidado dos clientes submetidos a transplante hepático é predominantemente do tipo “indefinido”. Contudo, foi possível apurar 36 participantes com autocuidado aderente ao perfil responsável. A postura do indivíduo face ao autocuidado é marcada pela percepção que o indivíduo tem das suas vivências pessoais e de saúde, do passado, do presente e do futuro. Os factores que emergiram da análise factorial aos itens do “perfil de autocuidado” apontam três aspectos fundamentais: os biográficos/passado dos indivíduos, os relacionados com a situação actual, assim como, os focados nas atitudes e capacidades para gerir os problemas de saúde. No domínio da gestão do regime terapêutico emergiram os seguintes factores: a capacidade para gerir o regime dietético e medicamentoso, a adesão ao regime terapêutico e a capacidade e disponibilidade para detectar complicações. Os indivíduos com scores mais XVI elevados no perfil de autocuidado responsável têm uma menor percepção de complicações, assim como de alterações analíticas, revelam também uma maior capacidade para gerir o regime dietético e medicamentoso. Os indivíduos com scores mais elevados no perfil de autocuidado de abandono têm uma percepção face aos indicadores qualitativos de sucesso diametralmente oposta. O acompanhamento destes clientes é fundamental, devendo este ser realizado ao longo do tempo, adaptando as intervenções de enfermagem às reais necessidades, tomando por base a suas características.
URI: http://hdl.handle.net/10400.26/9234
Designação: Mestrado em Enfermagem Médico-Cirúrgica
Aparece nas colecções:ESEP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese_MEMC_Liliana_2011.pdf5,8 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.