Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.26/8526
Título: A Inteligência Emocional e o Exercício de Comando - O contexto dos destacamentos do Comando Territorial de Lisboa da Guarda Nacional Republicana
Autor: Barreira, André
Palavras-chave: Inteligência Emocional
Exercício de Comando
Liderança
Comandantes
Data: 1-Ago-2014
Editora: Academia Militar. Direção de Ensino
Resumo: O interesse pela inteligência emocional floresceu ao longo dos últimos anos em múltiplos setores sociais e organizacionais, extravasando inclusive para as funções de comando de forças policiais. Contudo, a sua aplicabilidade na liderança é aquela que mais controvérsia tem gerado no meio académico. Tendo em consideração a escassez de pesquisas empíricas, relacionando a inteligência emocional e a eficácia da liderança, o presente estudo desafia estas suposições, identificando as potencialidades e vulnerabilidades do constructo da inteligência emocional no exercício de comando. São utilizados para tal, inquéritos por questionário como instrumentos de medida de auto e heteroavaliação dos Comandantes, nos domínios da inteligência emocional, liderança e dos fatores critério: desempenho, satisfação e esforço extraordinário. Os dados recolhidos reportam-se a 250 militares da GNR do Comando Territorial de Lisboa, 10 dos quais, exercendo funções de Comandantes de Destacamento. Os resultados indicam que a inteligência emocional potencia a obtenção de desempenhos superiores na liderança, constituindo-se a “avaliação das emoções dos outros” e a “utilização das emoções” por parte do Comandante como as dimensões que conferem maior poder de explicação de liderança. Contudo, verificamos que quando estudamos as dimensões de ambos os constructos agrupadas, a única dimensão da inteligência emocional que se revela significativa da satisfação e esforço extraordinário é a “avaliação das emoções dos outros”. Como vulnerabilidades, verifica-se que a diferença de perceção que os Comandantes têm acerca da sua inteligência emocional, comparativamente aos seus militares, influencia negativamente o seu exercício de comando. Esta investigação faculta evidência empírica adicional para a aplicação da inteligência emocional no exercício de comando na GNR, constituindo-se como uma ferramenta importante, no apoio à organização e direção, da formação dos seus Comandantes no sentido correto.
Abstract The interest in emotional intelligence has blossomed over the last few years in multiple social and organizational sectors, speading inclusively to command functions of police forces. Its applicability in leadership is, however, the issue that has generated the most controversy in the academic environment. Taking in consideration the scarcity of empirical research that relates emotional intelligence and effective leadership, this paper challenges this issues, identifying the strengths and vulnerabilities of the construct of emotional intelligence in the exercise of command. In order to achieve such goals, questionnaire survey measures of self and others ratings of Commanders were used, in the areas of emotional intelligence, leadership, performance, satisfaction and extra effort. The collected data refers to 250 military from GNR Territorial Command in Lisbon, 10 of which, acting as Detachment Commanders. The results indicate that emotional intelligence enhances the attainment of better performance in leadership, highlighting ‘others emotion appraisal’ and the ‘use of emotion’ by the Commander as the aspects that have the biggest influence on leadership. However, we found that when studying the dimensions of both grouped constructs, the only dimension of emotional intelligence that reveals significant values on satisfaction and extraordinary effort is ‘the appraisal of others emotions’. As vulnerability, one can point out that the difference between the perception that Commanders have about their own emotional intelligence compared to that perceived by their military, negatively influences their exercise of command. This research provides additional empirical evidence supporting the application of emotional intelligence in the exercise of command in GNR, establishing itself as an important tool in the support of the organization and steering of training of their commanders in the right direction.
URI: http://hdl.handle.net/10400.26/8526
Aparece nas colecções:AM - CM - VS - Trabalho de Investigação Aplicada (TIA) - Mestrado Integrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
GNR 345 André Barreira.pdf2,91 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.