Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.26/8386
Título: Assédio Moral e Stresse no Trabalho
Autor: Roque, Dina Isabel Fernandes
Orientador: Pereira, Maria Odete
Palavras-chave: Riscos Psicossociais
Assédio Moral
Stresse no Trabalho
Psychosocial risks
Moral Harassment
Stress at Work
MSHT
Data de Defesa: Abr-2015
Editora: Instituto Politécnico de Setúbal. Escola Superior de Ciências Empresariais
Resumo: A realização desta dissertação teve como objetivo analisar os riscos psicossociais, designadamente, o Stresse e o Assédio Moral, em várias empresas do distrito de Setúbal. Tem-se verificado ao longo do tempo uma crescente preocupação com os riscos psicossociais, e são cada vez mais as campanhas que se desenvolvem com o objetivo de criar ferramentas de análise e estratégias de intervenção que permitam o controlo destes riscos emergentes. A situação atual do país, traduzida em trabalho cada vez mais precário e escasso, o cumprimento de horários de trabalho intensivos e extensos, com redução da vida social, a falta de dinheiro nas famílias, a incerteza inconstante relativa ao futuro profissional e a insegurança social, entre outras situações, acabam por ser fatores determinantes, para que surjam mais situações de Stresse e Assédio Moral no local de trabalho. Para o desenvolvimento da dissertação participaram indivíduos de 24 empresas do distrito de Setúbal, de vários ramos de atividade, resultando numa amostra de 145 questionários válidos. Para o efeito foi aplicado um questionário sobre o Assédio Moral, o NAQ-R (Negative Acts Questionnaire - revised de Einärsen & Raknes, 1997), adaptado por Araújo, McIntyre & McIntyre, 2004. E o questionário sobre o Stresse que é uma versão reduzida do questionário de Cohen et al (1983) Escala de Stresse Percebido (PSS-10), adaptado por Moreira, 2002. O questionário sobre o Assédio é multifatorial e composto por 3 subescalas: Assédio Profissional, Assédio Pessoal e Sobrecarga de Trabalho. A determinação das subescalas dos questionários baseou-se nos resultados da Análise Factorial e da determinação dos coeficientes de consistência interna, através do alpha de Cronbach. O questionário sobre Stresse é unidimensional. Nas dimensões do Assédio Moral, a subescala mais pontuada foi a Sobrecarga de Trabalho, seguido do Assédio Profissional e por último o Assédio Pessoal. Na análise destas subescalas, concluiu-se que os itens mais pontuados para o Assédio Profissional, informam que por vezes alguém escondeu informação que afetasse o desempenho dos participantes no seu local de trabalho, assim como por vezes foram obrigados a desempenhar tarefas abaixo das suas competências e ainda, por vezes aconteceu verem as suas opiniões serem ignoradas. Para o Assédio Pessoal, os itens pontuados revelam que por vezes os participantes foram alvos de agressividade ou berraram com eles, por vezes foram feitas alegações contra os inquiridos, assim como por vezes foram alvos de “brincadeiras de mau gosto” no seu local de trabalho. E em relação à Sobrecarga de Trabalho também por vezes acontece serem sujeitos a uma elevada carga de trabalho. Dos resultados obtidos, destaca-se a percentagem de inquiridos que assumem já terem sido vítimas de Assédio Moral no trabalho, 16,6% da amostra de 145 participantes. Em relação aos assediadores, os valores apontam que são as chefias e os colegas de trabalho, que mais se destacam neste papel. Os assediadores são predominantemente do sexo masculino, e na maior parte dos casos em grupos de 2 a 5 pessoas. Na análise das influências recíprocas entre Assédio e Stresse, constatou-se o aumento dos indicadores de Assédio, em qualquer das dimensões, faz-se acompanhar de um aumento de indicadores de Stresse. Os trabalhadores em regime temporário são os que sentem mais o Assédio Pessoal no trabalho, e todos os outros que sentem mais o Assédio Pessoal, Sobrecarga de Trabalho e Stresse acham provável virem a perder os seus postos de trabalho num futuro próximo. Foi constatado também que as pessoas que fazem parte de um agregado familiar maior estão mais sujeitos a situações de Stresse. É a gestão de topo que mais sente o Assédio Pessoal e Profissional, enquanto os administrativos sentem mais as influências do Stresse. Importante referir, que são os trabalhadores que estão nas empresas há mais de 20 anos, que mais sentem Assédio Moral.
Abstract:realization of this dissertation pretended to analyze the psychosocial risks in various companies of Setúbal area. In particular, to verify and study the stress and bullying at work. Has been checked over time a growing concern with psychosocial risks, and there's increasingly more campaigns that are developed with the aim to create tools that enable the monitoring of emerging risks. The current situation of the country, translated into an increasingly scarce and precarious work, the compliance work schedules, more work and less social life, lack of money in families, fickle uncertainty that has developed, among other situations, end up being determinants, that emerge more situations of stress and bullying in the workplace. For the development of the dissertation 24 companies from Setúbal area, have participated, from several sectors of business, resulting in a sample of 145 valid questionnaires. For this purpose, a questionnaire on Psychological Harassment was applied, the NAQ -R (Negative Acts Questionnaire - revised from Raknes & Einarsen, 1997), adapted by Araújo, McIntyre & McIntyre, 2004. And the questionnaire on Stress is a reduced version of Cohen et al (1983) Perceived Stress Scale questionnaire (PSS - 10), adapted by Moreira , 2002. The questionnaire of harassment consists of 3 subscales: professional harassment, personal harassment and work overload. The determination of the subscales of the questionnaires was based on the results of Factor Analysis and determination of the coefficients of internal consistency by Cronbach's alpha. For the stress, one subscale was defined. In the dimensions of Moral Harassment, the more punctuated subscale was the Overload of Work, followed by the Professional Harassment and the Personal Harassment. In the analysis of these subscales, it was concluded that the scored items for the Professional harassment, report that sometimes someone has hidden information that affects the performance of the participants in their workplace, and sometimes they were forced to perform tasks below their skills, and even sometimes happened to see their opinions are ignored. For the Personal Harassment, the scored items reveal that sometimes the participants were targets of aggression or screamed to them, sometimes allegations were made against the participants, as were sometimes targets of "practical jokes" in your workplace. And about the Overload Work sometimes also happens to be subjected to a high workload. From the obtained results, we highlight the percentage of respondents who assume having been victims of Moral Harassment at work, 16.6% of the sample of 145 participants. Regarding the harassers, the values point say that are the managers and co-workers, who stand out in this paper. The harassers are predominantly male and in the most cases groups of 2 to 5 persons. In the analysis of the reciprocal influences between Harassment and Stress, were found that the increase in the indicators of Harassment, in any dimension, is accompanied by an increase in indicators of Stress. The temporary workers are those who feel more Personal Harassment at work, and all others who feel more Personal Harassment, Overload and Work Stress, think probably might lose their jobs in the near future. It was also found that people who are part of a larger household are more likely to Stress situations. It is the top management that feels more Personal Harassment and Professional, while the administrative workers feels more influences of Stress. Important to note that it is the workers who are in the companies for over 20 years, that are feeling more Moral Harassment.
Descrição: Dissertação apresentada para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Higiene e Segurança no Trabalho
URI: http://hdl.handle.net/10400.26/8386
Aparece nas colecções:IPS - ESCE - CDOC - Dissertações de mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação_Dina Roque_01.09.2014.pdf14,01 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.