Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.26/7860
Título: Relação entre a composição corporal e os hábitos alimentares em trabalhadores por turnos
Autor: Coelho, Marta Andreia Gomes Leal
Orientador: Pereira, Paula
Palavras-chave: Trabalho por turnos
Composição corporal
Questionário de frequência alimentar
Data de Defesa: Set-2014
Editora: Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz
Resumo: Introdução: O trabalho por turnos representa uma forma de trabalho cada vez mais realizada na sociedade dos nossos dias. Grande parte das consequências associadas ao trabalho por turnos está relacionada com a perturbação da sincronização dos ritmos circadianos que desencadeiam alterações em diversas funções no organismo nomeadamente, distúrbios patológicos, doenças crónicas e alterações a nível da ingestão e hábitos alimentares. Afectando de igual forma a relação destes trabalhadores com a organização onde trabalham assim como seu meio social e familiar.
Objectivo: O presente estudo tem como objectivo verificar a existência de relação entre variável da composição corporal Índice de Massa Corporal e as variáveis dos hábitos em trabalhadores por turnos.
Materiais e Métodos: Avaliaram-se 39 funcionários por turnos de uma Câmara Municipal, todos do género feminino com idades entre os 30 e os 67 anos. Foram recolhidos dados sobre a altura, o peso, a circunferência abdominal. Na mesma sessão foi aplicado o questionário de frequência alimentar para aferir os hábitos alimentares. Os dados recolhidos foram tratados estatisticamente no programa IMB SPSS Statistics para Windows versão 21® através do qual se procedeu à análise da estatística descritiva, à aplicação do coeficiente de Spearman e Regressão Linear.
Resultados e Discussão: Após análise estatística verificou-se um IMC médio da amostra final de 29,1±5,6Kg/m2 e que no global 77% dos trabalhadores por turnos se encontram com alteração da composição corporal e com risco aumentado de complicações metabólicas, excesso de peso e obesidade. Verificou-se um valor médio ± desvio padrão da proteína de 235,00±134,73 Kcal, dos hidratos de carbono de 528,74±223,90, da gordura de 238,35±131,92 e da fibra de 47,61±16,76, valores com um aumento face aos valores de referência. Constatou-se que a ingestão dos macronutrientes e micronutrientes revelam valores acima dos de referência segundo a OMS.
Conclusão: Através dos resultados obtidos verificou-se que no grupo de trabalhadores em estudo, e que praticam horário por turnos, existe uma relação positiva entre a variável da composição corporal o Índice de Massa Corporal e algumas das variáveis dos hábitos alimentares, reflectindo possíveis excessos alimentares. Verificou-se que a variável o IMC, a %MG e a circunferência abdominal estão fortemente associadas entre si.
Descrição: Dissertação para obtenção do grau de Mestre em Nutrição Clínica
URI: http://hdl.handle.net/10400.26/7860
Aparece nas colecções:EM - ISCSEM - Nutrição Clínica

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Coelho, Marta Andreia Gomes Leal.pdf1,06 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.