Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.26/7795
Título: Impacto da força das práticas de gestão dos recursos humanos na satisfação dos colaboradores
Autor: Ferreira, Rute Elias
Palavras-chave: Força das práticas de gestão de recursos humanos
Satisfação laboral
Gestão estratégica de recursos humanos
Data de Defesa: 18-Jul-2014
Editora: Universidade Europeia - Laureate International Universities
Resumo: A globalização trouxe consigo uma crescente competitividade do mercado profissional. Esta nova realidade suscitou novos desafios organizacionais e despertou a necessidade das organizações para uma gestão de recursos humanos muito mais estratégica. Esta gestão passa por uma maior preocupação com o capital intelectual, com os bens intangíveis das organizações – os seus colaboradores. A necessidade de encontrar um equilíbrio entre as necessidades dos colaboradores e os objetivos das organizações, que contribua para um melhor desempenho das organizações deu origem a vários estudos, entre eles surgiu o conceito da “força das práticas de gestão de recursos humanos”, apresentado por Bowen e Ostroff (2004), de que a criação de um forte sistema de recursos humanos, caracterizado por transmitir mensagens com distintividade, consistência e consenso, induz a uma forte situação organizacional que por sua vez influencia a perceção e os comportamentos dos colaboradores. Segundo Locke (1976) a satisfação é uma reação emocional, logo é resultado das perceções do individuo a um determinado trabalho ou contexto. Visto que a satisfação contribui positivamente para uma melhor qualidade de vida, ajudando na diminuição de muitos dos problemas de saúde, tais como stress, depressão, ansiedade, etc., influenciando a produtividade, o absentismo, a rotatividade e sendo fator preditor do comportamento afetivo (Allen & Meyer, 1997), torna-se importante o estudo da relação entre esta “força das práticas de gestão de recursos humanos” e a satisfação laboral dos colaboradores. Neste contexto o presente estudo visa analisar a relação entre estas duas variáveis, no sentido de ajudar os recursos humanos das organizações na procura da obtenção de comportamentos desejados por parte dos seus colaboradores, que contribuam para o desenvolvimento e progresso das próprias organizações. A investigação é desenvolvida através de um inquérito a uma amostra de 170 colaboradores de uma multinacional portuguesa do setor da energia elétrica. Os resultados foram positivos, a correlação entre as duas variáveis demonstrou ser boa e a regressão linear indicou que a “força das práticas de gestão de recursos humanos” é relevante na explicação da satisfação laboral. No final é apresentada uma discussão dos resultados obtidos, assim como algumas limitações verificadas no estudo e sugestões para futuras investigações.
The globalization has brought an increasingly competitiveness on the labour market. This new reality has raised new organizational challenges and aroused the need of organizations for a more strategic management of human resources. This management involves a greater concern with the intellectual capital, the intangible assets of organizations – their employees. The need to find a balance between the needs of employees and the goals of the organizations, which contributes to a better performance of organizations has led to several studies, including the concept of the “strength of the human resources system” presented by Bowen and Ostroff (2004), that the creation of a strong human resources system, characterized by communication transmitted with distinctiveness, consistency and consensus, could induce a strong organizational situation which in turn influences the perceptions and the behaviors of employees. According Locke (1976) satisfaction is an emotional reaction, thus it is result of perceptions of the individual to a particular work or context. Since satisfaction contributes positively to a better quality of life, helping in the reduction of many health problems, such as stress, depression, anxiety, etc., influencing the productivity, the absenteeism, the turnover and being predictor of affective behavior (Allen & Meyer, 1997), it becomes important to study the relationship between the “strength of the human resources system” and the job satisfaction of employees. In this context this study aims to analyze the relationship between these two variables, in helping the human resources of organizations in the pursuit of obtaining desired behaviors of their employees, which contribute to the development and progress of the organizations. The research is developed through a survey of a sample of 170 employees of a Portuguese multinational company in the electricity sector. The results were positive, the correlations between the two variables showed to be good and the linear regression indicated that the “strength of practices of human resources management” is relevant in explaining the job satisfaction. In the end is presented a discussion of the results obtained, as well some limitations noticed in the study and suggestions for future research.
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10400.26/7795
Aparece nas colecções:UE - TDM - Teses de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
T-MRH_14_25_Rute Ferreira.pdf2,03 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.