Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.26/7425
Título: Resultados da intervenção da Fisioterapia em indivíduos submetidos a meniscectomia
Autor: Vicente, Pedro
Orientador: Cruz, Eduardo
Palavras-chave: Meniscectomy
Rehabilitation
Knee
NRPS
WOMAC
PGIC
Physical Therapy
Meniscectomia
Reabilitação
Joelho
END
Fisioterapia
Data de Defesa: Dez-2014
Editora: Instituto Politécnico de Setúbal. Escola Superior de Saúde.
Resumo: Enquadramento: A ruptura meniscal do joelho, apresenta uma taxa de ocorrência estimada por ano de 23.8/100000 (Clayton, & Court-Brown’s, 2008). Os tratamentos artroscópicos, a rupturas meniscais, estão entre os mais comuns realizados pelos cirurgiões ortopédicos, constituindo 10% a 20% de todas as cirurgias em alguns centros cirúrgicos (Renstrom & Johnson, 1990 cit. por Shybut & Strauss, 2011). Os objectivos da Fisioterapia, pós-operatória da artroscopia meniscal, são assim resolver os sintomas, restaurar a função, prevenir lesões futuras e promover o retorno à atividade. (Goodyear-Smith & ·Arroll, 2001). Objetivo: Este estudo teve por objetivo investigar prospetivamente a evolução da intensidade da dor, rigidez articular e função física, em utentes que se encontravam a realizar fisioterapia pós-meniscectomia. Adicionalmente, pretendeu-se conhecer o beneficio percepcionado pelos participantes, relativamente à evolução da sua condição. Tipo de Estudo: Trata-se de um estudo do tipo observacional de Coorte prospectivo no qual se registou a evolução da dor, rigidez e funcionalidade ao longo de 8 semanas, em indivíduos submetidos a cirurgia de meniscectomia e que se encontram a realizar tratamento de Fisioterapia. No final da 4ª e 8ª semanas de intervenção foi ainda avaliada a percepção de mudança do estado de saúde e satisfação com o tratamento. Instrumentos: Questionário de caracterização sócio-demográfica e clínica, END, WOMAC, PGIC-PT. Amostra: Dos 33 pacientes iniciais, 8 foram excluídos, constituindo os restantes 25 a amostra em estudo. Resultados: Ocorreu uma diminuição da dor de 52% de 5 (T0) para 2.4 (T3) segundo a END, a sub-escala dor da WOMAC reportou uma diminuição da dor de 45% de 7.92 (T0) para 4.36 (T3). A sub-escala rigidez da WOMAC apresentou uma diminuição de 65,2% de 4.2 (T0) para 1.5 (T3). Verificou-se um aumento da funcionalidade, através da sub-escala da funcionalidade da WOMAC 36,12 (T0) para 16.92 (T3) representando um aumento funcional de 53.26%. Relativamente à WOMAC total observouse uma redução na pontuação de 48.32 (T0) para 22.88 (T3), o que se traduziu numa melhoria de 52.81% da função final. Os resultados mostram ainda que após a intervenção de Fisioterapia ocorreu uma redução significativa da, intensidade dor X2 (3)= 46.130, p<0.0005, e da incapacidade funcional X2 (3)= 53.069, p<0.0005. As melhorias foram percepcionadas como clinicamente importantes (PGICPT ≥5) para 72% dos participantes no estudo. Foi também possível observar parcialmente uma associação positiva e significativa entre a intensidade da dor e o nível de incapacidade funcional autoreportado. Verificou-se ainda que existe uma associação positiva e significativa entre a redução da incapacidade funcional e a melhoria percepcionada pelos indivíduos pós-meniscectomia, durante e após o tratamento de Fisioterapia. Conclusão: Com base nos resultados observados, este estudo parece indicar uma melhoria clínica dos pacientes a realizar Fisioterapia pós-meniscectomia, quer a nível dos resultados clínicos, quer na melhoria percepcionada pelo paciente.
Background: The knee meniscal rupture has a rate estimated to occur each year 23.8/100000 (Clayton & Court-Brown’s, 2008). Arthroscopic treatments of meniscal injuries are among the most common orthopaedic procedures performed, constituting 10% to 20% of all surgeries at some centers (Renstrom & Johnson, 1990 cit. por Shybut & Strauss, 2011). The rehabilitation objectives in meniscal postoperatory arthroscopy are resolving the symptoms, restore function, prevent further injuries and promote return to activity. Post-operatory rehabilitation generally follows a phased progressive approach (Goodyear-Smith &·Arroll, 2001). Objective: This study aimed to prospectively investigate the evolution of the intensity of pain, stiffness and physical function in users who were conducting physiotherapy after meniscectomy. Additionally, we sought to understand the benefit perceived by participants regarding the progress of his condition. Study Type: This is a study of a prospective observational cohort study, in which was recorded the evolution of pain, stiffness and function over 8 weeks in patients undergoing meniscectomy surgery and are conducting physiotherapy treatment. At the end of the 4th and 8th weeks of intervention was also assessed, perceptions of change in health status and satisfaction with treatment. Instruments: Questionnaire of socio-demographic and clinical characterization, Numerical Rating Pain Scale, Western Ontario and McMaster Universities Osteoarthritis Index, Patients Global Impression of Change Scale. Participants: Of the initial 33 patients, 8 participated to the 4th week the remaining 25 patients completed the study, which (n=25) were subject to statistical analysis. Results: Results show pain diminishment of 52% from a initial 5 (T0) to 2.4 (T3) occurred according to NRPS, the pain subscale of WOMAC reported a pain reduction of 45% from 7.92 (T0) to 4:36 (T3). A stiffness subscale of the WOMAC fell by 65.2% from 4.2 (T0) to 1.5 (T3). There was an increased functionality through the sub-range of functionality of WOMAC 36.12 (T0) to 16.92 (T3) representing a functional increase of 53.26 %. For the total WOMAC is observed 48.32 (T0) to 22.88 (T3), which resulted in an improvement of 52.81 % of the final function. The study also found that after the intervention of physical therapy a significant reduction in pain intensity X2 (3) = 46,130, p < 0.0005, a significant reduction in disability X2 (3) = 53,069, p < 0.0005 occurs. Users who reported a clinically important change (≥5) in PGIC - PT, the improvements were perceived as clinically important in 72 % of study participants. Is partially corroborated a positive and significant association between pain intensity and the level of self-reported functional disability. It was also found that there is a positive and significant association between reduction in functional disability and perceived improvement by post-meniscectomy individuals, during and after treatment of Physiotherapy. Conclusion: Based on the observed results, this study demonstrates clear implications not only in the clinical improvement of patients undergoing physiotherapy after meniscectomy, and lets say that the patient perceives it as very useful for the resumption of normal life.
Descrição: Relatório do Projeto de Investigação apresentado para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Fisioterapia, área de especialização em Fisioterapia em Condições Músculo-Esqueléticas
URI: http://hdl.handle.net/10400.26/7425
Aparece nas colecções:IPS - ESS - BIBLIOTECA - Dissertações de mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese vs Final Pedro Vicente2014.pdf1,35 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.