Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.26/7424
Título: Caracterização da prática da Fisioterapia em indivíduos submetidos a Artroplastia Total da Anca e resultados obtidos ao nível da Dor, Funcionalidade e Qualidade de vida
Autor: Sousa, Maria João
Orientador: Cruz, Eduardo
Palavras-chave: Artroplastia da anca
Fisioterapia
Prótese da anca
Hip arthroplasty
Physical therapy
Hip prosthesis
Data de Defesa: Dez-2014
Editora: Instituto Politécnico de Setúbal. Escola Superior de Saúde
Resumo: Introdução: A osteoartrose é mundialmente a patologia músculo-esquelética mais comum e um importante problema de saúde pública. Em Portugal, é a principal causa de incapacidade da pessoa idosa. Em algumas situações, o processo degenerativo articular evolui até à destruição da cartilagem, tornando-se imprescindível a intervenção cirúrgica. A artroplastia total da anca é uma das reconstruções cirúrgicas mais comuns, tendo sido registadas em 2011, 6092 Artroplastias da anca em Portugal. Com o aumento da esperança média de vida nos países desenvolvidos, prevê-se um maior recurso a próteses da anca. Pela instabilidade articular e fraqueza muscular desenvolvida após a cirurgia, a prescrição de exercício e a referenciação para a Fisioterapia são procedimentos de rotina após a realização de artroplastia da anca. O tipo de intervenção, duração e frequência não é consensual e não existem estudos que o descrevam de forma detalhada. Objectivo: O presente estudo pretende descrever de forma detalhada a prática da Fisioterapia em indivíduos submetidos a artroplastia total da anca e os resultados obtidos ao nível da dor, funcionalidade e qualidade de vida. Metodologia: Foi realizado um Estudo de Série de Casos que contou com a participação de 15 indivíduos, submetidos a atroplastia total da anca, que aceitaram participar livremente no estudo e cumpriram os critérios de inclusão. Os participantes realizaram um programa de intervenção de Fisioterapia, baseada no protocolo construído pela equipa de fisioterapeutas do Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca. Como pré-requisito os indivíduos tinham de saber ler e escrever, ter idade superior a 18 anos e ser submetidos a intervenção de Fisioterapia apenas nesta instituição. A recolha de dados realizou-se em quatro fases distintas: o primeiro momento corresponde à primeira sessão de Fisioterapia em regime de Ambulatório (T0), o segundo momento, seis semanas depois (T1), o terceiro, doze semanas após o início da Fisioterapia em ambulatório (T2) e o último, 24 semanas após o início da intervenção de Fisioterapia, num período follow-up (T3) por entrevista telefónica. Foram recolhidos dados de caracterização sócio-demográfica e clínica da população através de questionário próprio. A intensidade da dor foi medida através da Escala Numérica de Dor (END), a funcionalidade a partir da Western Ontario and McMaster Universities Osteoarthritis Index (WOMAC), a qualidade de vida através da Short Form Health Survey 12-item Questionaire (SF-12) e a perceção de melhoria a partir da Patient Global Impression of Change Scale (PGIC). Resultados: Com esta intervenção, observou-se uma diminuição ou mesmo desaparecimento da intensidade da dor (END) desde o início (T0) até às 24 semanas depois da cirurgia (T3). A incapacidade funcional (WOMAC) diminuiu em média 31% e a média da qualidade de vida aumentou de 29,9 para 42,8 pontos na componente física e de 38,7 para 45,7 pontos na componente psicológica do SF-12 desde T0 a T3. Todos os pacientes reportaram uma mudança clinicamente importante na perceção de melhoria em T2 (PGIC-PT). Conclusão: Os resultados do estudo sugerem que a aplicação do protocolo de intervenção de Fisioterapia do HFF proporciona melhorias ao nível da dor, funcionalidade e qualidade de vida dos pacientes, sendo essas melhorias percecionadas pelos indivíduos submetidos a artroplastia total da anca.
Abstract:Introduction: Osteoarthritis is the most frequent musculoskeletal disease and a major public health problem. In Portugal is the leading cause of disability in the elderly. In some situations, the joint degenerative process progresses to cartilage destruction, and surgery is the only treatment option. Total hip arthroplasty (THA) is a common procedure in orthopedic practice. In 2011, a total of 6092 primary THA were performed in Portugal. Because of the increase in life expectancy in developed countries, the demand for total joint arthroplasties has been steadily increasing. By joint instability and muscle weakness developed after surgery, exercise prescription and referral for physical therapy are routine procedures after performing hip arthroplasty. Exercise therapy varied greatly in type and timing and there is no studies with detailed intervention programs. Objective: The aim of this study was to describe clinical practice and the results of physical therapy intervention in pain, function and life quality, on patients with hip arthroplasty. Methodology: A case series report with a sample of 15 patients refered to physical therapy in Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca, that fulfilled the pre-established inclusion criteria and agreed to freely participate on it. As inclusion criteria patients should know how to read and write, be older than 18 years old and perform physical therapy intervention only in this institution. Patients were evaluated in four pre-defined moments: in the first session of physiotherapy (T0) and at 6 (T1), 12 (T2) and 24 (T3) weeks after surgery. The results obtained after physiotherapy intervention were described at the level of pain, assessed by Numerical Rating Scale (NRS), functional disability, measured by Western Ontario and McMaster Universities Osteoarthritis Index (WOMAC), life quality, assessed by Short Form Health Survey 12-item Questionaire (SF-12) and global perception of change, measured through Patient Global Impression of Change Scale (PGIC). Subsequently, it was proceeded the social-demographic and clinical characterization of the sample, assed by a questionaire. Results: It was found that there was an improvement of pain over the 24 weeks in Numerical Rating Scale. Functional disability decreased 31% over the 24 weeks, assessed by WOMAC and the average of quality life increased from 29,9 to 42,8 points in physical component and 38,7 to 45,7 points in mental component, assessed by SF-12. All patients showed a clinical important improvement in global perception of change in the end of physical therapy (T2). Conclusion: The results of this study suggest that HFF physical therapy intervention protocol provides improvements in terms of pain, functional disability and quality of life in subjects after hip arthroplasty.
Descrição: Relatório do Projeto de Investigação apresentado para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Fisioterapia, área de especialização em Fisioterapia em Condições Músculo - Esqueléticas
URI: http://hdl.handle.net/10400.26/7424
Aparece nas colecções:IPS - ESS - BIBLIOTECA - Dissertações de mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
tese final.doc.pdf4,14 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.