Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.26/6898
Título: O Plano Schlieffen [1905]: uma inspiração na Batalha de Canas [216 a. C.]
Autor: André, Afonso
Palavras-chave: Aníbal
Data: 1-Jul-2011
Editora: Academia Militar. Direção de Ensino
Resumo: A vitória que os cartagineses obtiveram sobre as legiões romanas na batalha de Canas, em 216 a. C., teve tais proporções que ainda hoje é referida como exemplar na sua execução. Os líderes militares da actualidade ainda procuram atingir resultados como os que foram obtidos em Canas, mas nunca com o mesmo sucesso. Nesse dia de 2 de Agosto de 216 a. C., o exército cartaginês, liderado por Aníbal Barca, foi alcançado por um exército romano com quase o dobro do seu tamanho. Os cartagineses conseguiram envolver o seu inimigo, numericamente superior, cercaram-no e destruíram-no completamente naquela que é considerada uma demonstração de génio táctico inigualável. O Chefe de Estado-Maior alemão, Alfred von Schlieffen, supostamente inspirado por este exemplo, tentou criar um plano que permitisse à Alemanha vencer a guerra inevitável que se avizinhava. O que se sabe das suas intenções é explicado num manuscrito de 1905, da autoria do próprio, que sobreviveu até aos nossos dias. Schlieffen concebeu um plano em que o exército alemão envolveria as posições francesas na fronteira franco-alemã, e forçaria o exército francês a uma rendição em massa, a sua batalha de aniquilação, ou vernchtunglschlacht. Este objectivo seria atingido através de uma ala direita forte que atravessaria a Bélgica, a Holanda e o Luxemburgo, desrespeitando a neutralidade destes, passaria a oeste de Paris e abordaria as posições francesas pela retaguarda. A nossa intenção foi analisar ambos os situações e tentar encontrar semelhanças e incongruências entre elas. Procurámos encontrar ligações entre elas e se tais ligações seriam apenas casuais ou resultantes de uma inspiração na famosa batalha da Antiguidade. Utilizámos os princípios da guerra, presentes nos manuais militares, que serviram de ponte para ligar o ano de 216 a. C. ao de 1905 d. C. Após considerarmos os factores chegamos á conclusão de que as semelhanças existem, mas que são apenas conceptuais e aplicadas de uma forma muito generalizada.
Abstract The carthaginian victory over the roman legions at the battle of Cannᴂ in 216 b. C. had such proportions that it is spoken of as an example of how battles should be fought even to this day. An aftermath like the one at Cannᴂ is still sought by many military leaders, but never completely achieved. On that day in 216 b. C. a Carthagin ian army led by Hannibal Barca, engaged a roman army with double its size. The carthaginians encircled a far superior army from both sides, surrounded it and completely destroyed it in a display of tactical genius. Supposedly inspired by such example, Alfred von Schlieffen, Chief of the General Staff, tried to create a plan that would allow the II Reich to obtain a victory in the inevitable upcoming war. What is known of his intentions is explained in a manuscript he wrote in 1905 and survived to this day. Schlieffen conceived a plan in which the german army would completely encircle the French positions in the french-german border and force the french army to a mass surrender, his battle of annihilation, or vernichtungschlacht. He would achieve this by means of a strong right wing that would pass trough Belgium, Netherlands and Luxemburg, violating the neutrality of these countries, swing west of Paris and approach french positions from behind. Our intention was to look at both situations and make an attempt to find similarities and crucial differences between them. What we tried to do was to find out if there really was a connection between them and if such a connection is random or caused by an inspiration on the famous battle of the Antiquity. We made the comparison using the principles of war, present in our modern military manuals, which will allowed us to fill the time gap between 216 b. C. and 1905 a. D. After taking all of this into consideration we have reached the conclusion that there are similarities, but there are just conceptual, and very generalized.
URI: http://hdl.handle.net/10400.26/6898
Aparece nas colecções:AM - CM - ECCA - Trabalho de Investigação Aplicada (TIA) - Mestrado Integrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TIA Asp. André (versão final).pdf13,77 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.