Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.26/519
Título: O paradoxo do Hamas : democracia vs terrorismo?
Autor: Santos, Juliana
Palavras-chave: Relações internacionais
Estratégia política
Islamismo
Ideologia
Fundamentalismo
Partidos políticos
Grupos terroristas
Eleições
Terrorismo
Democracia
Sionismo
Médio Oriente
Palestina
Israel
Data: 2008
Editora: Instituto da Defesa Nacional
Relatório da Série N.º: 3ª Série;Nº 120 (Verão 2008)
Resumo: O paradoxo que o Hamas vive – e que serve de mote a este artigo – não é mais do que o resultado da combinação das várias visões do mundo em relação a si próprio. Os diversos actores, regionais e internacionais, influenciam teórico-historicamente o Movimento da Resistência Islâmica na sua ideologia e na sua conduta. As eleições de 25 de Janeiro de 2006 ditaram, democraticamente, a vitória do Hamas. Valeu-lhe, claramente, a sua boa imagem forjada por obras sociais dignas da inveja do Fatah, então desacreditado aos olhos da maioria do eleitorado. No entanto, pela fidelidade do Movimento da Resistência Islâmica ao seu Pacto de 1988, onde incluía, entre outros, o não reconhecimento de Israel, o mundo condenou o partido e coagiu o presidente da AP à acção. Na actualidade, afloram questões, dúvidas e sede de justiça. Enquanto irmãos se defrontam a céu aberto, “negociações sérias” prevêem-se e a promessa de um Estado Palestiniano ganha consistência. Mas… com que pilares? Será o Hamas um deles?
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.26/519
ISSN: 0870-757X
Versão do Editor: http://www.idn.gov.pt/publicacoes/resumo/nd/120.pdf
Aparece nas colecções:IDN - Revista Nação e Defesa

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
NeD120_JulianaSantos.pdf714,34 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.