Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.26/511
Title: China e Médio Oriente : energia, claro, mas não só...
Authors: Tomé, Luís Leitão
Keywords: Política externa
Estratégia regional
Geopolítica
Segurança energética
Crescimento económico
Energia
Petróleo
Conflito
Médio Oriente
China
Issue Date: 2008
Publisher: Instituto da Defesa Nacional
Series/Report no.: 3ª Série;Nº 121 (Outono/Inverno 2008)
Abstract: As relações entre Pequim e o Médio Oriente são um fenómeno recente relacionado com a ressurgência da China como grande potência e as suas crescentes necessidades de abastecimento energético. A China é o segundo maior consumidor mundial de energia e o país que regista o mais rápido aumento de consumo petróleo e dependência energética, daí a aproximação ao Médio Oriente, onde se encontram as maiores reservas. Nas suas relações com Estados do Médio Oriente (que já vão muito para além dos negócios energéticos) a China tem tido uma dupla preocupação: por um lado, aproveitar as hostilidades regionais face aos Estados Unidos, mas sem antagonizar a superpotência, cuja relação bilateral é o eixo central da política externa chinesa; por outro, desenvolver uma estratégia onmi-direccional, isto é, estabelecer relações amigáveis e produtivas com todos os países da região, de modo a que todos contribuam para o fortalecimento do seu “poder nacional abrangente” e simultaneamente, evitar posicionar parcialmente a China nos complexos conflitos regionais.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.26/511
ISSN: 0870-757X
Publisher Version: http://www.idn.gov.pt/publicacoes/resumo/nd/121.pdf
Appears in Collections:IDN - Revista Nação e Defesa

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
NeD121_LuisTome.pdf601,41 kBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.