Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.26/1782
Título: Mulheres mastectomizadas : acesso à informação e aprendizagem de capacidades
Autor: Costa, Ilídia
Palavras-chave: Mastectomia
Data de Defesa: 2011
Resumo: O cancro da mama e tratamento adjuvantes acarretam para a mulher uma série de consequências de índole física e psicológica vastamente descritos na literatura. Alterações ao nível da concepção da saúde e das políticas de saúde quer a nível nacional quer internacional, centram o processo de cuidados na pessoa como parceira activa, detentora de capacidades e como tal responsável pela tomada de decisão livre e esclarecida sobre a sua saúde e tratamento. Na mulher mastectomizada com linfadenectomia podem acontecer alguns problemas físicos como a diminuição da amplitude do movimento, diminuição da força, rigidez articular, edema e linfedema do membro homolateral. No sentido de assegurar a continuidade de cuidados, é necessário que a reabilitação e a alta hospitalar destas mulheres sejam planeadas pela equipa inter/multidisciplinar da qual fazem parte os enfermeiros, para que possam ser informadas, instruídas e treinadas acerca dos cuidados a ter, assim como sobre os exercícios que previnam e recuperem a capacidade funcional do membro homolateral à mastectomia. Neste sentido, a aprendizagem de capacidades torna-se fundamental, sendo que intrinsecamente se associa aos processos de informar, treinar e de interpretar. A escolha do tema: mulher mastectomizada, acesso à informação e aprendizagem de capacidades, teve como objectivos perceber junto das mulheres mastectomizadas os processos indicados, perceber a relevância dessa informação para a aprendizagem de capacidades e adaptação à sua nova condição de saúde, que recursos e estratégias utilizaram para suprir as dificuldades. Realizou-se um estudo do tipo qualitativo, exploratório e descritivo, num hospital de oncologia, cuja população alvo foi constituída por mulheres da consulta da mama, já mastectomizadas e com tratamentos de quimioterapia e radioterapia. A amostra foi constituída por 12 mulheres que relataram o seu testemunho através de uma entrevista semi-estruturada. Os resultados revelaram que: 50% receberam informação sobre a doença; 83,3% informação sobre o tratamento e ambas pelo médico na consulta; 75% receberam informação dos enfermeiros no internamento sobre os cuidados a ter com o braço; 75% receberam um livro com exercícios ao braço, no serviço de fisioterapia; 66,6% receberam informação sobre cuidados a ter com o braço afectado, nomeadamente pesos e esforços relacionado com a prevenção de complicações; 16,6% assistiram à realização de exercícios por outras doentes e 33,3% à exemplificação feita pelo fisioterapeuta; dos exercícios instruídos o mais referido (50%) foi o da roldana e 25% diz compreender a importância dos exercícios;
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10400.26/1782
Aparece nas colecções:ESEP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Mulheres mastectomizadas_Acesso à informação e aprendizagem de capacidades.pdf1,43 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.