Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.26/1232
Título: Energia, Geopolítica e a Política da Biosfera
Autor: Schwarz, Henrique
Palavras-chave: Geopolítica
Segurança nacional
Segurança energética
Guerra
Petróleo
Recursos naturais
Energias renováveis
Ambiente
Alteração climática
Data: 2007
Editora: Instituto da Defesa Nacional
Relatório da Série N.º: 3ª Série;Nº 116 (Primavera 2007)
Resumo: O quadro global da distribuição geográfica das reservas geológicas e da produção e consumo dos combustíveis fósseis, que são hoje de longe as principais fontes de energia a nível mundial, é cada vez mais propício à emergência e à recorrência de conflitos distributivos, conhecidos por “guerras dos recursos” ou simplesmente por guerras do petróleo. Para além disto, uma oferta de energia que não consegue acompanhar o crescimento da procura faz subir os preços de uma forma consistente. Também a concentração do mercado num número restrito de protagonistas (empresas e Estados produtores e consumidores), a competição pelo acesso e controlo dos combustíveis fósseis, enquanto recursos naturais estratégicos, e as enormes assimetrias dos consumos, geraram uma situação de insegurança energética generalizada, que as concepções e as práticas geopolíticas tradicionais não parecem capazes de resolver de uma forma permanente. A tese defendida é que é necessário repensar os conceitos de segurança nacional e geopolítica, integrando-os numa nova visão das relações internacionais, que designámos por política da biosfera, por três razões principais: (i) a compressão do espaço-tempo, introduzida pelas novas tecnologias da informação e comunicação; (ii) a emergência de novos protagonistas na cena internacional, para além dos Estados-nação, a marcarem a agenda política mundial: empresas transnacionais, grupos religiosos, organizações não governamentais do desenvolvimento e do ambiente, movimentos de defesa dos direitos humanos, comunidade científica, comunicação social, etc.; (iii) a questão socio-ambiental global, em larga medida associada às desigualdades crescentes de riqueza e de bem-estar e à deriva antropogénica dos climas terrestres. A não ser feita esta grande transformação, já nas próximas décadas, no sentido da instauração de uma política da Biosfera, a influência que exercemos sobre o curso da evolução pode vir a ter o resultado que ninguém deseja.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.26/1232
ISSN: 0870-757X
Aparece nas colecções:IDN - Revista Nação e Defesa

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
NeD116_HenriqueSchwarz.pdf288,5 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.