Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.26/10779
Título: Conhecimentos, atitudes e crenças face à sexualidade e educação sexual de adolescentes do 8º e 10º ano de escolaridade
Autor: Costa, Sandra Filipa Pinto da
Orientador: Lima, Lígia Maria Monteiro
Palavras-chave: Educação sexual
Adolescentes
Atitude
Crença
Data de Defesa: 2015
Resumo: A Educação Sexual é um processo contínuo e de permanente aprendizagem, que abrange a transmissão de informação e promove o desenvolvimento de crenças, atitudes e comportamentos saudáveis relacionados com a sexualidade humana. Este estudo pretendeu identificar os conhecimentos, atitudes e crenças face à sexualidade e à Educação Sexual em meio escolar e analisar as conceções acerca de uma sexualidade saudável dos adolescentes que frequentam o 8º e 10º ano de escolaridade. O estudo tem um desenho transversal descritivo, de caráter misto quantitativo-qualitatitvo, com uma amostra de conveniência de 289 estudantes do 8º e 10º ano de duas escolas públicas do parque escolar da Unidade de Cuidados da Comunidade Santo Tirso (UCC Santo Tirso), com idades compreendidas entre os 12 e os 18 anos. Da análise dos resultados, concluiu-se que a maioria dos alunos teve nos dois anos letivos, prévios à recolha de dados, Educação Sexual na escola, avaliando-a como muito importante. A maioria dos adolescentes acredita que alguns jovens da sua idade já tiveram relações sexuais e indicaram como a principal razão para a iniciação sexual, o facto de quererem experimentar, julgando que utilizaram o preservativo masculino como método contracetivo na primeira relação sexual. Relativamente aos conhecimentos demonstrados pelos alunos sobre infeções sexualmente transmissíveis (IST´s), os modos de transmissão do VIH/SIDA, a utilização de métodos contracetivos e da pílula do dia seguinte/emergência, foram as raparigas e os alunos do 10º ano que demonstraram níveis superiores de conhecimento. Os alunos que reportaram ter Educação Sexual na escola apresentaram mais conhecimentos sobre as formas de transmissão e prevenção do VIH/SIDA e sobre o preservativo masculino. Os alunos do 10º ano referiram mais frequentemente que não seria desconfortável adquirir preservativos no Centro de Saúde, conversar com o par xiv sobre o uso do preservativo e recusar ter relações sexuais, caso o par não o quiser usar. Em relação às conceções dos alunos sobre uma sexualidade saudável, os resultados demonstraram que os alunos do 10º ano mencionaram mais a dimensão psicológica e social da sexualidade, enquanto o foco das conceções dos alunos do 8º ano centrou-se na dimensão biológica, em especial na Saúde Física e Reprodutiva. No que concerne às implicações deste estudo para a Educação Sexual em meio escolar, salienta-se a sua importância e do desenvolvimento de um trabalho multidisciplinar, que promova uma vivência holística e multidimensional da sexualidade, através da parceria dos agentes de socialização. O Enfermeiro Especialista em Enfermagem de Saúde da Criança e do Jovem, como elemento da equipa de Saúde Escolar, deve promover atitudes e competências pessoais fundamentais para adoção de comportamentos saudáveis por parte dos alunos.
URI: http://hdl.handle.net/10400.26/10779
Designação: Mestrado em Enfermagem de Saúde Infantil e Pediatria
Aparece nas colecções:ESEP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese Sandra Costa .pdf4,28 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.