Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.26/10551
Título: Estudo do perfil de envelhecimento da população de Jovim: da conceção do diagnóstico gerontológico à elaboração do plano de intervenção
Autor: Marantes, Maria Alexandra Seixas Pinto
Orientador: Almeida, Maria Sidalina
Palavras-chave: Envelhecimento
Diagnóstico gerontológico
Sociabilidades
Reforma
Plano de intervenção
Data de Defesa: 26-Nov-2015
Resumo: O trabalho de projeto construído no âmbito do mestrado em gerontologia social, resultou da elaboração do diagnóstico gerontológico na freguesia de Jovim, a pedido da União de Freguesias de S. Cosme (Gondomar) Valbom e Jovim. Mobilizamos a metodologia de projeto para construir o diagnóstico gerontológico de um território local (a freguesia de Jovim) que foi a base do plano de intervenção gerontológico, que prevê o envolvimento das organizações e associações locais, para que elas reorganizem os seus modos de fazer e criem dinâmicas potenciadoras de estruturas e/ou projetos capazes de intervir no combate aos problemas sociais que atingem a população mais envelhecida da freguesia de Jovim. E tendo sido o diagnóstico gerontológico o instrumento de suporte ao plano de intervenção aqui apresentado, foi importante estudar em profundidade as diferentes fases da metodologia de projeto, em particular a do diagnóstico social focado nos problemas associados ao envelhecimento. Começamos por definir o seu conceito, importância e fins; posteriormente partimos para uma caracterização desta etapa fundamental da metodologia de projeto, explicando o complexo de tarefas que ela envolve e indicando as suas etapas. Seguidamente, e numa perspetiva mais operativa, referimos os métodos e técnicas de recolha de informação para elaboração do diagnóstico gerontológico e os atores que nele intervieram. Fizemos uma breve referência aos diagnósticos municipais, explicitando as suas particularidades e a importância do diagnóstico gerontológico no desenvolvimento local. Na realização do diagnóstico procedeu-se a uma abordagem das três dimensões de vulnerabilidade social nomeadamente: a económica, relacional e simbólica. A eleição destas dimensões levou-nos a explorar especificamente temas como os rendimentos, trajetórias socioprofissionais, habitação e condições de habitabilidade, os recursos relacionais, (com particular destaque para o potencial protetor da sociabilidade primária), os modos de vida na reforma e os equipamentos/serviços e projetos de intervenção para idosos que já os utilizaram ou que neles participaram ou que têm como expetativa vir a utilizá-los no futuro. Para a concretização do diagnóstico gerontológico administrou-se um inquérito por questionário a uma amostra de 53 inquiridos com idade igual ou superior a 65 anos. Procedeu-se à análise de dados e identificaram-se problemas (rendimentos, redes de relações sociais que não garantem a proteção social dos idosos, poucas oportunidades de frequentar e de se sentirem pertença de grupos, projetos, associações culturais e desportivas, problemas na área habitacional e barreiras arquitetónicas no espaço urbano), definiram-se prioridades de intervenção que resultaram na elaboração do plano gerontológico constituído por um programa de ação de dinamização sociocultural e outro de reabilitação habitacional e urbana.
URI: http://hdl.handle.net/10400.26/10551
Designação: Mestrado em Gerontologia Social
Aparece nas colecções:ISSSP - Dissertações de mestrado em Gerontologia Social

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Maria Alexandra Seixas Pinto Marantes.pdf2,57 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.