Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.26/10082
Título: Liderança estratégica e pensamento estratégico
Outros títulos: Competências nucleares
Autor: Rodrigues, Valentim
Palavras-chave: Competências Nucleares
Forças Armadas
Liderança Estratégica
Pensamento Estratégico
Indicadores de eficácia ou Descritores comportamentais e Modelos
Data: 2014
Editora: IESM
Resumo: As instituições militares modernas necessitam de líderes estratégicos conscienciosos e conhecedores, aptos e experientes, capazes de desenvolver uma visão do futuro, criando-o e antecipando-o, pensadores de alto nível, capazes de operar em ambientes complexos e ambíguos. O imperativo de uma eficiente e eficaz liderança estratégica dos Ramos e das Forças Armadas, como pilar essencial da sociedade democrática, justificam o propósito, a importância e pertinência desta investigação sobre “Liderança Estratégica e Pensamento Estratégico. Competências Nucleares”, incluída num projeto de Investigação do Instituto de Estudos Superiores Militares (IESM) denominado “Liderança: Desenvolver a próxima geração de líderes militares: Desafios, Estratégias e Imperativos.” Os líderes competentes das instituições militares modernas são uma garantia de vida dos seus subordinados, em guerra, e da sua instituição, em paz, pelas suas elevadas capacidades e competências na abordagem de tarefas abstratas, diferentes, de longo prazo e de grande complexidade cognitiva. A liderança estratégica refere-se à criação de um sentido que guia a formulação estratégica e a sua implementação nas organizações. As competências do líder estratégico podem ser atribuições, qualificações, traços, características pessoais, comportamentos ou ações e todas elas contribuem para promover uma mudança num contexto competitivo, com excesso de informação e de tecnologia num ambiente descritivo e configurativo. Com o propósito de desenvolver um modelo de liderança estratégica para as Forças Armadas portuguesas que relacione o pensamento estratégico e permita extrair as competências nucleares do líder estratégico, foi preciso examinar conceptualmente e de modo original, quais as principais qualidades, características, indicadores e competências que se afiguram fundamentais e efetivas para que a liderança estratégica seja exercida com sucesso. Este estudo faz assim uma abordagem conceptual da liderança estratégica e do pensamento estratégico. Extrai depois, por via de entrevistas a líderes pensadores estratégicos e de uma análise SWOT1, um conjunto de informação em termos de desafios futuros dos LE, de competências nucleares, de descritores comportamentais ou indicadores de LE, barreiras e opções de promoção ao pensamento estratégico. Foi então necessário encontrar, destilar e validar, um modelo que contribua para que os futuros líderes estratégicos militares portugueses aprendam, adquiram e desenvolvam um conjunto de princípios e atitudes necessárias a uma bem-sucedida liderança estratégica. Depois, por via de um questionário de valorização de importância e frequência, validamos o modelo conceptual, em termos de competências nucleares, indicadores de eficácia ou descritores comportamentais e também em termos de barreiras e opções de promoção do pensamento estratégico, onde foi possível correlacionar a influência destas com as competências nucleares e críticas. Deduz, esta investigação, um modelo original de valor e utilidade para as Forças Armadas portuguesas, validado por 48 oficiais generais e antigos auditores do curso de promoção a oficial general, através do questionário. O modelo evidência um líder estratégico capaz de desenvolver um futuro idealizado, formulando, através de correlações intelectuais, emocionais, cognitivas e sociais, uma estratégia pensada e focada num futuro onde os recursos são perfeitamente talhados, com critério, sabedoria, rigor, atitude e conhecimento. O modelo obtido, designado por “BEM” (Biolíder Estratégico Militar), é original, traz novo conhecimento e aponta para um conjunto de competências nucleares, ou essenciais, e um conjunto de competências críticas, todas relacionadas com as funções biológicas do ser humano, daí o nome. Essas competências nucleares são as seguintes: - Ter Carisma (Ética, valores, impacto e influência nas pessoas); - Pensar, formular e planear uma estratégia. Saber decidir entre duas coisas certas e tomada de decisão com risco. Ponderar com sabedoria; - Ter energia, física e mental, dinamizadora, orientada para gerir e controlar os objetivos e para a realização da missão; - Conhecer bem os sistemas organizacionais e pensar estrategicamente. Reengenharia organizacional focada na eficácia, eficiência e efetividade; Foram também obtidas as seguintes competências críticas, relevantes para o modelo: - Ter e saber comunicar uma influência idealizada, uma visão de “alfaiate”, e saber adequar os recursos ao futuro desejado. Ter um rumo; - Saber negociar, influenciar e obter consensos; -Ter inteligência (pensamento analítico, conceptual, abordagem sistémica e multidisciplinar); - Estimular individualmente os membros, considerá-los e desenvolvê-los. Potenciar talento e construir valor humano. Interação pessoal individualizada e descentralização estratégica; - Construir e desenvolver com mestria e astúcia as redes sociais e relações exteriores de influência e apoio. Ter sensatez, astúcia e tato. Finalmente, das correlações obtidas entre as competências nucleares e críticas e as barreiras e opções de promoção ao pensamento estratégico, foi possível obter que estas têm impacto no seu desenvolvimento, daí que têm de ser consideradas, como implicação prática, em programas de formação e ensino, desde o primeiro momento, no ingresso às Academias e Escola Naval, e depois, num segundo momento, em programas de autoconhecimento, formação continua e desempenho funcional prático, como forma de eliminar barreiras e potenciar opções de promoção do pensamento estratégico. A mentoria e a modelação de comportamentos de enquadramento e socialização, a formação contínua e a prática, com mentoria, de funções de comando e direção, e programas de desenvolvimento de autoconhecimento, ajudarão o LE a sincronizar a sua eficácia pessoal com a da organização, garantindo o eficaz, eficiente e efetivo cumprimento da missão e a perenidade da instituição militar. Abstract: The modern military institutions need knowledgeable and qualified strategic leaders which are capable of developing a vision, creating and anticipating it. These high level thinkers are capable of operating in complex and ambiguous environments. The imperative for an efficient and effective strategic leadership of the military forces is an essential pillar in the democratic society, these justify the importance and purpose of this investigation about “Strategic leadership, strategic thinking and nuclear competences” included in one investigation project of the command and staff military college (IESM) denominated as “Leadership: Development of the next generation of military leaders, Challenges, Strategies and Imperatives.” The competent strategic leaders of modern military institutions are a warranty for the life of their subordinates in war and for the organization in peace, because of their high capabilities and skills in approaching different tasks that vary in the long run and are of great cognitive complexity. Strategic leadership is referred to the creation of a direction that leads the strategic formulation and its implementation in organizations. The skills of the strategic leader are qualifications, traits, personal characteristics and behaviors, and all of these contribute to promote a change in a competitive context, with excess of information and technology in a configurative and descriptive environment. With the purpose of developing a strategic leadership model for the Portuguese military forces, that relates the strategic thinking and makes the extraction of nuclear competences for the strategic leader possible, there was a need for conceptual examining of the main qualities, characteristics, indicators and competences that where though fundamental and effective so that strategic leadership is exerted with success. This study does the conceptual approach of the strategic leadership and of the strategic thinking. Extracting, by interviews to strategic leaders, strategic thinkers, and by a SWOT analysis, a set of information in terms of future challenges, for the strategic leadership. Information of nuclear competences, efficiency indicators, barriers and options to promote strategic taught. Therefore it was necessary to find, distillate and validate a model which contributes, learning wise, for the development of the future military strategic leaders in order for them to learn, acquire and develop a set of principles and needed attitudes to carry out a successful strategic leadership. After this, through a questionnaire of valor of importance and frequency, we validate the conceptual model in terms of nuclear competences efficiency indicators or behavior descriptors and also in terms of obstacles/barriers and strategic thinking promotion options, where it was possible to relate the influence of these nuclear competences and also critical ones. Therefore we deduct trough this investigation a useful model of original value for the Portuguese military, validated by 48 senior admirals, generals and senior captains and coronels appointed for higher rank positions, through a questionnaire. The model shows a strategic leader capable of developing an idealized future, formulating through the intellectual, emotional, cognitive and social correlations, a well though strategy focused on the future where the resources are perfectly managed with good criteria, wisdom, attitude and knowledge. The obtained model know as “BEM” (Strategic Military Bio-Leader) is an original one, it brings new knowledge and points out to a set of essential, nuclear and critical skills, all related to the biological functions of the human being, therefore the name. Those Nuclear skills are the following: -Having Charisma (Ethics, Values, Impact and influence over the people) -Thinking, formulating and planning a strategy. Knowing what to decide when in a hard situation, dueling himself with wisdom about what is the best decision. -Having energy, not only physically but also mentally, this energy must also be focused on controlling and managing objectives to perform the mission. - Knowing the organizational systems and thinking strategically. Reengineering organizational systems focused on effectiveness and efficiency. Like this ones, were also obtained relevant critical competences for the model, as follows: -To have a vision and knowing how to communicate it. Know how to match your vision to the available resources, knowing how to manage the resources focusing on the desired future. Have a steering course. -Negotiation skills, using influence and obtaining settlements with fellow workers and partners. -Being intelligent in the way they think, approach and pass their ideas. To have analytic, conceptual, systematic and multidisciplinary based approaches. -Stimulate, consider and develop the organization members, approaching the member’s individually and help them evolve individually. Create and develop talent and human value. Helping talent prosper and constructing human qualities from individual interaction and strategic decentralization. - Build, master and develop external relationships of influence and support. To have common sense, be astute and have intuition. Finally from the obtained correlations between the nuclear competences, critical competences, barriers and strategic thinking promotion options, it was possible to obtain the influence these have on all those competences development, therefore they need to be considered as a practical implication in teaching programs of formation and teaching from the first moment of being a part of the Naval Academy and of other military Academies, after that in a second moment, in self recognition programs, professional education programs and practical performance studies, works in a way to eliminate barriers and providing options in the promotion of strategic thinking. The mentorship and the modulation of social behaviors and actions, the continuous military life education and formation programs, and the practices with the mentors, of function command and direction of development programs are self-recognized and will help the Strategic Leader to be in sync with its organization, therefore making sure that he is efficient, effective and capable of completing the mission assuring and contributing to a perennial military institution.
URI: http://hdl.handle.net/10400.26/10082
Aparece nas colecções:IUM - CRC - CPOS - MAR - Trabalhos de Investigação Individual

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TII Lideranca Estrategica e Pensamento Estrategico_Competenc.pdf2,99 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.