Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.26/10057
Título: O Imperativo de uma Estratégia de Comunicação de Defesa Nacional
Autor: Queiroz, José
Palavras-chave: Comunicação Organizacional
Defesa Nacional
Estratégia de Comunicação
Media
Reputação Corporativa
Communication Strategy
Corporate Reputation
Defence
Media
Organizational Communication
Data: 2012
Editora: IESM
Resumo: Este trabalho pretende deixar claro que a Defesa Nacional necessita de uma estratégia de comunicação que permita maximizar os efeitos e dar a coerência indispensável à comunicação, aumentar a compreensão do papel relevante da Defesa e elevar a reputação da Defesa Nacional e das Forças Armadas que detêm um lugar de destaque na coesão nacional e na afirmação de Portugal no mundo. Num mundo globalizado, onde o ritmo das inovações e transformações parece estar a aumentar a uma cadência que torna cada vez mais difícil, a sua assimilação pelos indivíduos e pelas organizações, a permanente adaptação à mudança e a implementação de estratégias para as enfrentar, são uma necessidade constante. Sem uma estratégia clara e em constante reavaliação em função das potencialidades internas e dos desafios externos, o êxito e o cumprimento da missão dificilmente serão alcançáveis. O fim da Guerra Fria fomentou a necessidade de repensar os papéis e missões das Forças Armadas, potenciou uma política de redução do pessoal militar e das despesas militares e dificultou a mobilização da opinião pública para as questões da Defesa por não existir uma clara perceção de ameaças diretas aos interesses nacionais. Analisada a comunicação da Defesa, verifica-se que a ausência de uma estratégia de comunicação da tutela tem dificultado a racionalização da estrutura funcional de comunicação do Ministério da Defesa Nacional, do Estado-Maior General das Forças Armadas e dos Ramos, não permitindo uma lógica integradora e coerente da comunicação interna e externa, bem como a gestão eficaz de crises. No decorrer da investigação apurou-se que as grandes empresas passaram a incluir a gestão da comunicação no seu planeamento estratégico, no qual é refletida a missão, os valores, os objetivos, as metas e as políticas organizacionais delineadas. As organizações de Defesa da OTAN, dos Estados Unidos da América e do Reino Unido consideram a comunicação uma ferramenta estratégica que contribui para a consecução dos objetivos políticos globais e a mesma é enquadrada por uma estratégia, que enquadra as atividades de comunicação. O estudo evidencia ainda que o aumento da transparência através da comunicação constitui um elemento fundamental para o sucesso das organizações e que uma estratégia de comunicação realça e fortalece a importância do planeamento, a compreensão da situação, a capacidade de realização das tarefas e a identificação clara dos objetivos, devendo necessariamente ser coerente com a missão, a cultura corporativa, os valores, os objetivos e as metas da organização. Abstract: The aim of this paper is to substantiate that the National Defence requires a communication strategy that makes the most of its objectives, gives crucial coherence to communication, increases awareness of the role of the Defence and lifts the reputation of the National Defence and Armed Forces with the latter having a key role in the national unity and Portugal’s affirmation to the world. In a globalized world, where the rate of innovations and alterations appears to be increasing at a pace which makes it ever more difficult, for its assimilation by individuals and by organizations, the permanent adaptation to change and the implementation of strategies to deal with these, are a constant necessity. Without a clear strategy and in constant revaluation of the internal potential and external challenges, the prospects for the success and completion of the mission are bleak. The end of the Cold War boosted the necessity to rethink the function and mission of the Armed Forces, encouraged the reduction of military personnel and expenses and hindered the movement of public opinion towards Defence situations as there was no clear perception of the direct threats on national interests. On analysing Defence communication, it is apparent that the lack of a communication strategy from the political level, has hampered the rationalization of the functional structure of communication within the Ministry of Defence, of the Portuguese Joint Staff and respective branches, not allowing an integrating and coherent logic of the internal and external communication, as well as the efficient managing of crisis. During this investigation it was noted that large companies began including the managing of communication in the realm of their strategic planning, within which the outlined mission, values, objectives, aims and organisational policies are defined. The Defence organizations of NATO, the United States of America and the United Kingdom consider communication a strategic tool that contributed to the attainment of the global political objectives and the same is encompassed in a strategy that, in itself, encompasses the communication activities. The study highlights that the increase in transparency through communication constitutes a fundamental element towards the success of the organizations and that the communication strategy enhances and strengthens the importance of planning, the understanding of the situation, the capacity to execute the tasks and the clear identification of the objectives, having in mind that it must always be coherent with the mission, the corporate culture, the values, the objectives and the aims of the organization.
URI: http://hdl.handle.net/10400.26/10057
Aparece nas colecções:IUM - CRC - CPOS - MAR - Trabalhos de Investigação Individual

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TII_PQueiroz_VFinal.pdf742,88 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.