Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.26/10042
Título: Influência da China e Índia na áfrica lusófona
Outros títulos: Estratégias, Motivações e Ferramentas de Intervenção
Autor: Silva, Osvaldo
Palavras-chave: África
Angola
Cabo Verde
Comércio
China
Continente Africano
Cooperação
Guiné- Bissau
Índia
Lusofonia
Moçambique
PALOP
Portugal
Recursos
Relações
São Tomé e Príncipe
African Continent
Cooperation
Lusophonie
Resources
Relations
Trade
Data: 2012
Editora: IESM
Resumo: A República Popular da China e a Índia têm vindo, nos últimos anos, a ocupar posições de cada vez maior notoriedade no seio da comunidade internacional. Associados a esta subida de influência estão, sem dúvida alguma, os comportamentos das suas economias que, como que passando ao lado de uma crise considerada global, apresentam indicadores de apreciável força e indiciam a consistência necessária para que, a breve prazo, se tornem os motores da economia global. Esta notável prestação das economias chinesa e indiana levou a que estes dois gigantes asiáticos, não dispondo de recursos naturais, sobretudo energéticos, suficientes para satisfazer as necessidades das sua economias emergentes, iniciassem uma evidente busca por esses bens, conduzindo-as ao continente africano e, consequentemente, à África lusófona. Os países africanos, têm-se manifestado claramente recetivos à relação Win-Win apresentada pela China e pela Índia que, alicerçada num diálogo Sul-Sul, se apresenta como uma alternativa muito apelativa à tradicional relação com os países desenvolvidos do ocidente, normalmente associada ao Consenso de Washington que procura associar questões de índole política e social ao estabelecimento de relações comerciais com os Estados africanos, principalmente aqueles com regimes mais autoritários. Esta pesquisa tem por propósito, tendo em conta as dinâmicas resultantes do relacionamento sino-indiano com os países africanos, constituir-se como uma mais-valia para apoiar a política externa portuguesa nos países da África lusófona. Assim, o estudo identifica o posicionamento da comunidade cientifica acerca da crescente e influente presença sino-indiana em África que aponta para uma presença determinada, principalmente, pela procura de recursos e pela vontade de aumentar o espectro de influência; apresenta as linhas de ação sino-indianas no continente africano e nos países africanos de expressão portuguesa, aferindo o seu impacto no desenvolvimento das economias daqueles gigantes asiáticos; descreve a posição dos Estados africanos perante esta crescente aproximação da China e da Índia e aborda o modo como Portugal se tem relacionado com os países africanos de expressão portuguesa, demonstrando que a crescente presença das duas potências emergentes não alterou as relações comerciais de Portugal com os PALOP. Procura ainda, tendo a noção que Portugal não tem capacidade para competir com a Índia e a China, apontar vias para que o nosso país possa tirar partido desta situação aparentemente desvantajosa. Abstract: The People's Republic of China and India have been, in recent years, occupying positions of increasing importance within the international community. Associated with this increase of influence are, without doubt, the conduct of their economies wich, as they pass aside a crisis considered global, presents indicators of considerable strength and consistency, that indicates that, in the short term, they will become the engines of the global economy. This remarkable rendering of Chinese and Indian economies has led these two Asian giants, because of the lack of sufficient natural resources, especially those regarding energy, to meet the needs of their emerging economies, to start a course search for these goods that led to the African continent and thus to the Portuguese spoken Africa. The African countries, have expressed a clearly receptivity to this Win-Win relationship offered by China and India that, based on a South-South dialogue, is presented as a very appealing alternative to the traditional relationship with the developed western countries, usually associated to the Washington Consensus which seeks to involve political and social issues on the establishment of trade relations with African states, particularly those with more authoritarian regimes. This research has the purpose, taking into account the dynamics resulting from the Sino-Indian relations with African countries, to constitute an asset to support the Portuguese foreign policy in the countries of the Portuguese spoken Africa. Thus, this study identifies the position of the scientific community about the growing and influential Sino-Indian presence in Africa which points to a presence primarily determined by the demand for resources and the will to raise the spectre of influence; displays the lines of action Sino-Indian on the African continent, and on the Portuguese speaking African countries gauging its impact on the development of the economies of these Asian giants; identifies the position of the African states against this facing the closeness of China and India, and discusses how Portugal has been related with the Portuguese speaking African countries showing that the growing presence of the two emerging powers did not affect trade relations between Portugal and the PALOP. It also seeks, with the notion that Portugal has no ability to compete with India and China, to point to paths that our country can follow in order to take advantage of this apparent disadvantage.
URI: http://hdl.handle.net/10400.26/10042
Aparece nas colecções:IUM - CRC - CEMC - Trabalhos de Investigação Individual

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
MAJ INF Rocha e Silva.pdf607,34 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.